JN DIRETO

Local

Meteorologia

32°
17°
Hoje, 27 de Julho

Opinião

Rafael Barbosa

As Corgas... e os abutres

Viçosa, Bica do Aceiro, Maroufeira, Marmeleiro, Barroqueiras, Alagoa, Ribeiro das Figueiras, Vale de Cabreiros, Cabeço do Carril... Por razões familiares, fui, um destes dias, confrontado com a leitura de um inventário onde constam uma série de terrenos outrora ocupados por oliveiras, vinhas, milheirais, figueiras, citrinos e pinheiros. Topónimos que me levaram de regresso aos anos 80 da adolescência e da passagem para a idade adulta, para aqueles longos e quentes verões passados em Domingos da Vinha, aldeia de um pequeno enclave alentejano que se adentra, a norte do Tejo, pelos territórios da Beira Baixa, ali ao lado de Mação.

Pedro Bacelar de Vasconcelos

Populismos

Apalavra "populismo" é muito plástica. Aplica-se aos mais variados casos e circunstâncias, ora como instrumento de análise crítica ora como mero insulto dirigido à Direita ou à Esquerda conforme as conveniências do acusador. Mas tem como denominador comum, nos tempos que correm, o vasto grupo social impropriamente designado como "classe política". Aquilo a que hoje se chama populismo é uma desconfiança generalizada e indefinida perante a complexidade das instituições modernas de representação democrática e a deceção perante os fracassos persistentes da economia globalizada. Os valores que suportavam a construção liberal do Estado de direito democrático, a expectativa de solidariedade e o impulso generoso que assegurou, após a Segunda Guerra Mundial, a universalização dos Direitos Humanos, experimentam uma crise profunda e demorada. Por isso, o populismo apela a soluções básicas para os problemas evidentes.

A sua Opinião

Qual o clube que se está a reforçar melhor para a próxima época?