Três razões para apoiar Pedro Passos Coelho
21.03.2010
Zita Seabra

Pedro não tem pressa, sabe esperar. É sereno, mas firme, dois traços essenciais à garantia de estabilidade que o PSD precisa.

O Único candidato que fala do concreto quando se refere a empresas e a trabalhadores ou a empresários e não tem o ridículo complexo do sector público e privado

Eu apoio Pedro Passos Coelho nas eleições que decorrem no PSD. Sem hesitar, defini o meu voto por diversas razões, das quais enuncio três. Duas questões políticas e uma pessoal.

Começo pelas políticas.

O PSD precisa de estabilidade, e só a encontrará num líder seguro, preparado, que goste do partido e dos militantes, que se sinta bem no país, que se identifique com o PSD. Nada poderá continuar a trazer mais instabilidade ao partido do que ser dirigido por um presidente que não sinta o seu pulsar, e olhe sobranceiramente para os militantes que fazem a base de militância do PSD ou das suas estruturas nacionais ou locais - não direi do alto de um pedestal, mas pelo menos à distância de alguns degraus.

A estabilidade é a única garantia de que o PSD delineia uma estratégia que não se reduza a meros tacticismos definidos a cada momento, tendo como limite temporal a semana que passa. Pedro Passos Coelho demonstrou isso mesmo. Não tem pressa, sabe esperar, não se precipita, não corre atrás de foguetes e de holofotes em pequenas correrias a golpes de passo curto - o que tem vindo a marcar o PSD. É sereno, mas firme, dois traços essenciais à garantia de estabilidade na liderança de que o PSD precisa.

Em segundo lugar, o PSD precisa, em minha opinião, de um presidente capaz de definir uma estratégia para o século XXI, que tenha ideias claras sobre a saída da crise que de momento ainda não se resolveu internacionalmente e que vai levar mais tempo a resolver no país. Não precisamos de slogans políticos, de sound bites, de achados de retórica ditos serenamente ou gritados, e gritados no Parlamento ou na rua ou nos comícios ou nos congressos. Eu pessoalmente - e creio que comigo muito boa gente - acho que o país precisa de soluções políticas e económicas serenas, de bom senso e urgentes. Muitos dos nomes marcantes que fizeram a história do PSD e vivem na memória dos seus militantes foram os que serena e firmemente souberam equacionar soluções políticas e económicas para a gravíssima crise por que o país passou nos anos 70. Agora, como tem dito Pedro Passos Coelho, as soluções são outras, pressupõem olhar para o futuro com todas as novidades de um Mundo globalizado que nenhuma outra crise anterior conheceu.

Para poder fazê-lo precisamos de quem tenha a experiência e a vida de empresa, e não a teoria dos telejornais. Um dos erros do PSD nas últimas soluções de direcção foi mesmo esse. Pedro Passos Coelho foi da "Jota" para o trabalho na empresa e não conhece o mundo laboral da teoria de o ver nas manifestações do telejornal. Por isso, é o único candidato que fala do concreto quando se refere a empresas e a trabalhadores ou a empresários, e não tem o ridículo complexo do sector público e do privado ou das pequenas e médias empresas contra o papão das grandes. O PSD não precisa de um líder que faça ataques radicais ao eng.º Sócrates, precisa (como recentemente ouvi a Passos Coelho) de quem desenhe uma alternativa política e económica credível à política do Partido Socialista de Sócrates.

Por último, eu apoio Pedro Passos Coelho porque um dia, por acaso, um daqueles acasos que não esperamos, conheci a sua família. Fui apresentar um livro editado pela Fronteira do Caos, e escrito pelo seu pai, o dr. António Passos Coelho, médico muito conhecido em Vila Real, um livro com histórias de mulheres, daquelas histórias que o Namora escreveu e que só um médico é capaz de pôr no papel. Caí de repente no meio da família e sobre eles lancei o olhar. Conheci a mãe que dedicou toda a vida ao filho com paralisia cerebral, a irmã médica, a Laura, sua mulher, e vi a forma como todos se ajudam no drama da doença profunda que marca uma família - e só com muita entreajuda se consegue ter a alegria que encontrei. Uns pais que recomeçaram a vida quando vieram de uma ex-colónia e regressaram à casa que já não existia. Numa noite fria, gelada de Dezembro, encheu-se uma sala para apresentar um livro, o que só acontece quando muitos gostam de nós (mais, provavelmente, do que do que escrevemos).

Ficou-me na memória esse fim-de-semana em Vila Real, e aconteceu-me muitas vezes na vida que quando caímos assim no meio de uma família vemos com outros olhos os que conhecíamos dos discursos da política. Também por isso, e desde esse dia, Pedro Passos Coelho tem o meu apoio.

ver todos os artigos do autor
 



Fumo visível a grande distância
foto Pedro Granadeiro / Global Imagens

Extinto o incêndio no bar X na Foz do Douro

Carla Sofia Luz
Já foi extinto o incêndio que deflagrou esta sexta-feira à tarde no bar X, antigo restaurante Shis, na Foz do Douro, no Porto. Os Sapadores do Porto combateram o fogo, cujo fumo foi visível a grande distância. Veja as fotos.
 
 
Cartoon Elias o sem abrigo de R. Reimão e Aníbal F. 28-03-2015

Psiquiatra português é o Jovem Investigador mundial em esquizofrenia

O psiquiatra Tiago Reis Marques, investigador na área da esquizofrenia, foi distinguido com o prémio de Melhor Jovem Investigador, atribuído no 15º Congresso Internacional de Investigação da Esquizofrenia, que decorre nos...

Governo grego vai relançar privatização do porto do Pireu

O processo de privatização do porto do Pireu, suspenso há dois meses pelo novo Governo grego, vai ser relançado nas próximas semanas, disse hoje o China Daily, citando o vice-primeiro-ministro da Grécia, Yannis Dragasakis.

Urnas abriram na Nigéria para escolher Presidente e parlamento

As urnas abriram este sábado na Nigéria, anunciou a comissão eleitoral, estando os eleitores a dirigir-se às assembleias de voto para eleger um novo Presidente e um parlamento.

Campanha para eleições legislativas britânicas começa na segunda-feira

Começa oficialmente na segunda-feira a campanha para as eleições legislativas britânicas de 07 de maio, consideradas as mais renhidas das últimas décadas.

Fitch baixa rating da Grécia devido a "riscos elevados" da dívida

A agência de notação financeira Fitch baixou a classificação da dívida grega em dois pontos, de "B" para "CCC", devido aos "riscos elevados" que rodeiam as negociações entre Atenas e os seus credores internacionais.

Inquérito

O F. C. Porto elimina o Bayern de Munique?

Sim
Não

Dossiês

A detenção de Sócrates
A detenção de Sócrates
O caso BES
O caso BES
Português atual
Português atual

Conferência 3º Aniv DV - JN Destaque Évora (Mar2015)
NOS ConferênciaPrémioInovaçãoNOS - JN Destaque
Continente Uva d'Ouro 2015 - JN 300x100
PEPE Jornadas Empreendedorismo Turismo - JN Destaque
 
1ª Liga
1|Benfica65
2|FC Porto62
3|Sporting56
4|Sp. Braga47
5|V. Guimarães40
6|P. Ferreira37
7|Rio Ave36
8|Belenenses36
9|Nacional33
10|Moreirense32
11|Marítimo31
12|Estoril28
13|Boavista28
14|Académica26
15|V. Setúbal24
16|Arouca23
17|Gil Vicente19
18|Penafiel17

Serviços


15º
HOJE, 28 de Março

Amanhã15º |
Segunda16º |
Terça17º |10º
Quarta22º |12º

 



Controlinveste Conteúdos, S.A. Todos os direitos reservados
Termos de Uso e Política de Privacidade |  Ficha Técnica |  Quem Somos |  Contactos |  Webmaster This website is ACAP-enabled