JN

Três razões para apoiar Pedro Passos Coelho

Publicado

 

Pedro não tem pressa, sabe esperar. É sereno, mas firme, dois traços essenciais à garantia de estabilidade que o PSD precisa.

O Único candidato que fala do concreto quando se refere a empresas e a trabalhadores ou a empresários e não tem o ridículo complexo do sector público e privado

Eu apoio Pedro Passos Coelho nas eleições que decorrem no PSD. Sem hesitar, defini o meu voto por diversas razões, das quais enuncio três. Duas questões políticas e uma pessoal.

Começo pelas políticas.

O PSD precisa de estabilidade, e só a encontrará num líder seguro, preparado, que goste do partido e dos militantes, que se sinta bem no país, que se identifique com o PSD. Nada poderá continuar a trazer mais instabilidade ao partido do que ser dirigido por um presidente que não sinta o seu pulsar, e olhe sobranceiramente para os militantes que fazem a base de militância do PSD ou das suas estruturas nacionais ou locais - não direi do alto de um pedestal, mas pelo menos à distância de alguns degraus.

A estabilidade é a única garantia de que o PSD delineia uma estratégia que não se reduza a meros tacticismos definidos a cada momento, tendo como limite temporal a semana que passa. Pedro Passos Coelho demonstrou isso mesmo. Não tem pressa, sabe esperar, não se precipita, não corre atrás de foguetes e de holofotes em pequenas correrias a golpes de passo curto - o que tem vindo a marcar o PSD. É sereno, mas firme, dois traços essenciais à garantia de estabilidade na liderança de que o PSD precisa.

Em segundo lugar, o PSD precisa, em minha opinião, de um presidente capaz de definir uma estratégia para o século XXI, que tenha ideias claras sobre a saída da crise que de momento ainda não se resolveu internacionalmente e que vai levar mais tempo a resolver no país. Não precisamos de slogans políticos, de sound bites, de achados de retórica ditos serenamente ou gritados, e gritados no Parlamento ou na rua ou nos comícios ou nos congressos. Eu pessoalmente - e creio que comigo muito boa gente - acho que o país precisa de soluções políticas e económicas serenas, de bom senso e urgentes. Muitos dos nomes marcantes que fizeram a história do PSD e vivem na memória dos seus militantes foram os que serena e firmemente souberam equacionar soluções políticas e económicas para a gravíssima crise por que o país passou nos anos 70. Agora, como tem dito Pedro Passos Coelho, as soluções são outras, pressupõem olhar para o futuro com todas as novidades de um Mundo globalizado que nenhuma outra crise anterior conheceu.

Para poder fazê-lo precisamos de quem tenha a experiência e a vida de empresa, e não a teoria dos telejornais. Um dos erros do PSD nas últimas soluções de direcção foi mesmo esse. Pedro Passos Coelho foi da "Jota" para o trabalho na empresa e não conhece o mundo laboral da teoria de o ver nas manifestações do telejornal. Por isso, é o único candidato que fala do concreto quando se refere a empresas e a trabalhadores ou a empresários, e não tem o ridículo complexo do sector público e do privado ou das pequenas e médias empresas contra o papão das grandes. O PSD não precisa de um líder que faça ataques radicais ao eng.º Sócrates, precisa (como recentemente ouvi a Passos Coelho) de quem desenhe uma alternativa política e económica credível à política do Partido Socialista de Sócrates.

Por último, eu apoio Pedro Passos Coelho porque um dia, por acaso, um daqueles acasos que não esperamos, conheci a sua família. Fui apresentar um livro editado pela Fronteira do Caos, e escrito pelo seu pai, o dr. António Passos Coelho, médico muito conhecido em Vila Real, um livro com histórias de mulheres, daquelas histórias que o Namora escreveu e que só um médico é capaz de pôr no papel. Caí de repente no meio da família e sobre eles lancei o olhar. Conheci a mãe que dedicou toda a vida ao filho com paralisia cerebral, a irmã médica, a Laura, sua mulher, e vi a forma como todos se ajudam no drama da doença profunda que marca uma família - e só com muita entreajuda se consegue ter a alegria que encontrei. Uns pais que recomeçaram a vida quando vieram de uma ex-colónia e regressaram à casa que já não existia. Numa noite fria, gelada de Dezembro, encheu-se uma sala para apresentar um livro, o que só acontece quando muitos gostam de nós (mais, provavelmente, do que do que escrevemos).

Ficou-me na memória esse fim-de-semana em Vila Real, e aconteceu-me muitas vezes na vida que quando caímos assim no meio de uma família vemos com outros olhos os que conhecíamos dos discursos da política. Também por isso, e desde esse dia, Pedro Passos Coelho tem o meu apoio.

ImprimirImprimirEnviarEnviarEstatísticas
Partilhar
 [?]
 
 
 

Motos antigas foram as rainhas nos Aliados

VER VÍDEO




Canoistas ficam presos no dorso de uma baleia
Pai e filha estavam a andar de caiaque na costa de Puerto Madryn, Argentina, quando foram levantados por duas baleias no...

Quem vence as primárias no PS?

António Costa
António José Seguro
 

 
foto TIAGO MARQUES/LUSA

Casa onde viveu Salazar à venda por cinco milhões de euros

A casa que António de Oliveira Salazar escolheu para viver, em 1933, data da instituição do Estado Novo, mas que abandonou após ter sido alvo de um aparatoso atentado, em 1937, está à venda por cinco milhões de euros.

   
 
Mais Notícias

Sobreviventes do 'ferry' culpam tripulação e serviços de socorro da Coreia do Sul

Seis sobreviventes do naufrágio do 'ferry' sul-coreano 'Sewol' culparam, esta segunda-feira, a tripulação, que ordenou aos passageiros que se mantivessem nos camarotes, e os serviços de socorro por não ajudarem quem ficou preso nos primeiros momentos do acidente.

GNR faz 56 detenções em operação de combate à criminalidade violenta

A Guarda Nacional Republicana anunciou, esta segunda-feira, a detenção de 54 pessoas na passada sexta-feira, numa operação de combate à criminalidade violenta e de fiscalização rodoviária.

Investigadores analisam geologia de Marte com métodos usados no estudo da Terra

Uma equipa internacional de especialistas liderada pela Universidade de Coimbra está a analisar a geologia de Marte com métodos idênticos aos aplicados na Terra, para avaliar a erosão daquele planeta.

Ex-ministro diz que contrapartidas no material de defesa eram "imaginárias"

O ex-ministro da Economia Álvaro Santos Pereira assumiu, esta segunda-feira, no parlamento, que as contrapartidas negociadas pelos vários governos em nome do Estado português na compra de equipamento militar eram "imaginárias", devido ao grau de incumprimento generalizado.

Porto de Leixões movimenta 8,8 milhões de toneladas no primeiro semestre de 2014

A Administração dos Portos do Douro e Leixões divulgou, esta segunda-feira, que o Porto de Leixões atingiu no primeiro semestre de 2014 "um valor recorde de 8,8 milhões de toneladas" de mercadorias movimentadas, crescendo "4,2% face ao período homólogo do ano anterior".

CR7 e Bieber divertem-se em Los Angeles

Marlene Rendeiro
De fora do jogo amigável do Real Madrid frente ao Inter de Milão, em Los Angeles, Estados Unidos, Cristiano Ronaldo cruzou-se com o jovem Justin Bieber, fã de futebol. E quiseram registar o momento nas redes sociais.


Dossiês

Viseu a património da humanidade
Viseu a património da humanidade

/Dossies/dossie.aspx?dossier=Viseu a património da humanidade

Português atual
Português atual

/Dossies/dossie.aspx?dossier=Português atual



Cartoon Elias o sem abrigo, de R. Reimão e Aníbal F

Especiais


Multimédia
Blogues
Inquérito



Continente Uva d'Ouro - JN 300x100

Cofidis 300x100 (CTR_FOR_Destaque_v1)
Últimas
+Lidas
+Comentadas
+Pesquisadas
 

Serviços


TEMPO Dados fornecidos por Wunderground
  • 26ºC
  • 18ºC
  • HOJE
  • 28ºC
  • 21ºC
  • AMANHÃ

 

destaque conselhoeditorial
banner Barómetro Tomar o pulso ao país
Economia Social


Controlinveste Conteúdos, S.A. Todos os direitos reservados
Termos de Uso e Política de Privacidade |  Ficha Técnica |  Quem Somos |  Contactos |  Webmaster This website is ACAP-enabled