JN

O Porto no Mundo pela mão da arquitectura

Publicado

 

Nicolau Nasoni, John Carr, Gustav Eiffel, Teófilo Seyrig, Barry Parker, Giovanni Muzzio, Marcello Piacentini, Robert Auzelle, Manuel Sollà-Morales ou Rem Koolhas são alguns dos mais notáveis arquitectos estrangeiros que, nos últimos dois séculos, deixaram a sua marca no Porto. Significa, isto, que o Porto foi, e ainda é, uma cidade que muitos causticam como provinciana nos comportamentos mas que, na realidade, se afirma tranquilamente cosmopolita nos seus actos, aberta ao Mundo e capaz de lidar com outras formas de pensar e de se pensar a si própria. Em muitos casos, as obras que realizou atingiram mesmo o sublime e foram já elevadas à rara categoria de "ícones" da cidade como acontece com a torre de Nasoni e a ponte de Eiffel. Como se sabe, Nasoni desenhou, em 1748, a belíssima Igreja dos Clérigos, cuja imponente torre é um dos símbolos maiores da cidade, e Eiffel projectou e dirigiu as obras da Ponte de D. Maria, entre 1876/1877. Trata-se, igualmente, de outro dos emblemas do Porto e, sem dúvida, de uma das mais belas e celebradas pontes do Mundo. Contudo, não muito longe, no espaço e no tempo, uma outra, a originalíssima e também monumental Ponte de Luís I (1886), é igualmente metálica mas de dois tabuleiros, é oriunda do traço de outro estrangeiro que foi o belga Teófilo Seyrig e identifica também a cidade.

Mas, a obra de estrangeiros (notáveis) na cidade, não fica por aqui. Com efeito, ainda no século XVIII e ao mesmo tempo que Nasoni concebia a igreja e a sua torre, outro estrangeiro, o inglês John Carr, era chamado a desenhar o monumental Hospital de Santo António (1779), implantado ali muito perto e, seguramente, um dos mais belos e notáveis edifícios que a cidade construiu. Depois, e já com a República implantada, as primeiras vereações republicanas da edilidade portuense lançam mãos à obra que se destinava a marcar a mudança política com a consequente e desejada modernização da cidade que se consubstanciava na abertura da Avenida dos Aliados, em substituição e prolongamento, para Norte, da sereníssima Praça Nova, onde hoje é Praça da Liberdade e onde se localizava, até então, a sede do Município. Para isso, e uma vez mais, a cidade chama um estrangeiro, o inglês Barry Parker, que projecta o novo centro cívico do Porto, ainda que a forma definitiva, e até mais arrojada e generosa, lhe venha a ser dada já por arquitectos portugueses como Marques da Silva e Correia da Silva.

Depois, já em tempo de Estado Novo (1930/40) e no âmbito das boas relações que o regime detinha com a Itália de Mussolini, são chamados a trabalhar em Portugal mais dois arquitectos estrangeiros: os italianos Giovanni Muzzio e Marcello Piacentini. Ocupam-se, então, dos planos de expansão da cidade, propondo novos traçados que rasgam a sua compacta e antiga malha urbana, dando novos horizontes à importante rede de lugares e edifícios monumentais que a estruturam. Ainda em tempo de ditadura, mas já nos anos 50 e 60, é, de novo, um estrangeiro, o urbanista francês Robert Auzelle, que vai assumir o encargo de elaborar o Plano Director da cidade (1963), segundo o qual o Porto finalmente se organiza até que um novo plano o irá substituir, já na década de 90. Então, mais dois arquitectos estrangeiros vão deixar na cidade a marca do seu cosmopolitismo. Um, é o catalão Solà-Moralles (1997) que irá dar corpo ao ambicioso projecto de ligação do Parque da Cidade ao mar, desenhando, para o efeito, e para além do Edifício Transparente, o esbelto viaduto que o ampara e o subtil passeio marítimo da Avenida de Montevideu que lhe dá sequência. O outro, é o arquitecto holandês Rem Koolhas que, por via do concurso internacional aberto pela "Porto 2001", vai projectar e construir a impressionante Casa da Música (1998), que constitui, já hoje, um dos mais impressivos sinais da modernidade da cidade que, com a obra de Siza - afinal, o mais "estrangeiro" dos arquitectos portugueses - coloca o Porto e Portugal nas rotas da arquitectura do Mundo.

ImprimirImprimirEnviarEnviarEstatísticas
Partilhar
 [?]
 
 
 

Um dia no Marés Vivas em time-lapse

VER VÍDEO




Libertada artista japonesa da vagina
A artista nipónica Megumi Igarashi, conhecida pela "artista da vagina" foi libertada depois de uma semana detida por ter...

Quem vence as primárias no PS?

António Costa
António José Seguro
 

 
foto Fernando Pereira / Global Imagens

Incêndio destruiu apartamento em Baguim

Marta Neves
Um incêndio destruiu, esta segunda-feira de manhã, um apartamento em Baguim do Monte, Gondomar. O fogo queimou completamente um quarto numa altura em que não se encontrava ninguém em casa. Três famílias ficaram desalojadas.

   
 
Mais Notícias

Proprietário do navio sul-coreano "Sewol" encontrado morto

A polícia sul-coreana anunciou, esta terça-feira, ter encontrado o corpo do empresário Yoo Byung-Eun, dono do ferry "Sewol" que afundou em abril no sul do país com 476 pessoas a bordo, 300 das quais morreram.

Sporting leva 30 jogadores para estágio

Luís Mota
O treinador do Sporting, Marco Silva, convocou 30 jogadores para o estágio em Doorwerth, na Holanda. A comitiva parte amanhã, terça-feira, às 7 horas para a nova etapa da pré-temporada.

Paulo Portas diz que relação económica entre Portugal e Angola é a mais intensa

O vice-primeiro-ministro Paulo Portas afirmou esta segunda-feira, em Luanda, que Portugal mantém com Angola a mais "intensa" relação, admitindo que o mercado angolano, pela aposta das empresas portuguesas, ajudou o país a ultrapassar as dificuldades económicas.

Alta tensão: Governo proíbe plenários de professores

LEONOR PAIVA WATSON
O conflito entre o Ministério e os sindicatos sobe de tom, após o ofício do Ministério da Educação que inviabiliza os plenários nas oito escolas onde se faz esta terça-feira a prova de avaliação de docentes contratados. O dia é de alta tensão.

Mulher detida no aeroporto de Lisboa por posse de cinco quilogramas de droga

O Serviço de Estrangeiros e Fronteiras intercetou uma mulher suspeita de tráfico de estupefacientes, no aeroporto de Lisboa, com mais de cinco quilogramas de droga na bagagem.

Ordem dos Arquitetos diz que decisão sobre arquivo de Siza Vieira "cabe ao autor"

O presidente da Ordem dos Arquitetos, João Santa-Rita, declarou esta segunda-feira à agência Lusa que gostaria que o arquivo da obra do arquiteto Álvaro Siza Vieira ficasse em Portugal, mas essa decisão "cabe ao autor".


Dossiês

Viseu a património da humanidade
Viseu a património da humanidade

/Dossies/dossie.aspx?dossier=Viseu a património da humanidade

Português atual
Português atual

/Dossies/dossie.aspx?dossier=Português atual



Cartoon Elias o sem abrigo, de R. Reimão e Aníbal F

Especiais


Multimédia
Blogues
Inquérito

Programas

Omar




Continente Uva d'Ouro - JN 300x100

Cofidis 300x100 21-26 julho
Últimas
+Lidas
+Comentadas
+Pesquisadas
 
 

Serviços


TEMPO Dados fornecidos por Wunderground
  • 26ºC
  • 16ºC
  • HOJE
  • 22ºC
  • 17ºC
  • AMANHÃ

 

destaque conselhoeditorial
banner Barómetro Tomar o pulso ao país
Economia Social


Controlinveste Conteúdos, S.A. Todos os direitos reservados
Termos de Uso e Política de Privacidade |  Ficha Técnica |  Quem Somos |  Contactos |  Webmaster This website is ACAP-enabled