Saber não ouvir
16.08.2010
Oscar Mascarenhas

Devo ser dos poucos portugueses que não conseguem ter opinião peremptória sobre as causas e modos de combater os incêndios florestais. Esta minha hesitação vem desde que, há 27-anos-27, organizei e reportei, no 'Diário de Notícias', uma mesa-redonda com algumas das pessoas mais habilitadas sobre o assunto, e verifiquei que, desde então, poucas dúvidas e controvérsias foram superadas pelos especialistas e decisores.

Para dar um exemplo: quando então se falou na «limpeza das matas», alguém conhecedor explicou, branda e pedagogicamente, que é preciso muito cuidado e ciência, porque o subbosque é uma garantia de manutenção da humidade dos terrenos e da sobrevivência das árvores. Não se pode «limpar» a eito.

Limpar as matas exige conhecimentos, sabedoria. É, pois, uma tarefa muito mais adequada aos infatigáveis cérebros dos deputados do CDS do que aos semianalfabetos beneficiários do rendimento mínimo. Tal como acredito que estes, se fossem deputados, produziriam muito mais ideias para pôr outros a trabalhar sem paga do que os prodigiosos criativos de Paulo Portas.

Como jornalista, de incêndios, sei o que dizem o bom senso e os psicólogos que estudam o assunto, em matéria de divulgação de imagens: é preferível mostrar o que ficou queimado do que aquilo que está a arder, para não entusiasmar os doentes da piromania. E que não devem ser estimulados sentimentos de pânico, vingança e ódio cego entre as testemunhas dos fogos, evitando dar-lhes a palavra ao vivo e em directo, sem nos asseguramos do princípio deontológico de só entrevistar pessoas em condições de serenidade e responsabilidade.

Esta prudência tem a ver com as vítimas desesperadas, mas igualmente com os mirones e outros que fazem da mediatização o seu modo de vida. A prevenção de não ouvir nem dar voz estende-se, por exemplo, àquele presidente de câmara que defendeu, quiçá entontecido pela fumaça da floresta, que os incendiários deviam ser obrigados, como medida acessória da pena, a ajudar a apagar os incêndios. Não se sabe se o condenado deveria apagar o fogo que ateou - o que levaria o tribunal a interditar a acção dos bombeiros durante três a seis anos, para que o suspeito o fosse apagar, quando transitada a sentença em julgado - ou se de futuros incêndios, algo como reeducar uma raposa obrigando-a a guardar a fauna sobrevivente do galinheiro que depredou.

E quais as penas principais e acessórias para os assim-chamados responsáveis que fazem declarações incendiárias na vertigem do populismo mediático?

ver todos os artigos do autor
 

Palhaçada com responsabilidade social

VER VÍDEO




Local onde foi resgatado o corpo de um praticante de parapente, que não sobreviveu a uma queda
foto Carlos Santos / Global Imagens

Homem morre após queda de parapente

 
Um homem de 60 anos morreu, este domingo à tarde, na sequência de uma queda de parapente numa encosta junto ao Portinho da Arrábida, em Setúbal.
 
 
Cartoon Elias o sem abrigo de R. Reimão e Aníbal F. 20-10-2014

Um morto e três feridos em confrontos antes de jogo do campeonato brasileiro

Um adepto do Palmeiras morreu atropelado e outros três ficaram feridos durante confrontos com seguidores do Santos, momentos antes do encontro entre as duas equipas na 29.ª jornada do campeonato brasileiro de futebol.

Função Pública com duplo corte no salário de outubro

Quando olhou para um recibo de outubro, Fernando Jorge, do Sindicato dos Funcionários Judiciais, reparou num desconto de 5,6%, bem acima dos 3,5% com que se habituou a conviver entre 2011 e 2013. "Deduzo que esta diferença...

Doze países reúnem-se na segunda-feira em Havana para debater ébola

Representantes de 12 países vão reunir-se na segunda-feira em Havana, Cuba, para participar numa cimeira extraordinária da Aliança Bolivariana para os Povos da América, centrada na adoção de medidas para prevenir e impedir...

PCP anuncia voto contra o Orçamento de Estado

O secretário-geral do PCP, Jerónimo de Sousa, anunciou, este domingo, o voto contra dos comunistas ao Orçamento do Estado para 2015 decidido em reunião do Comité Central, o órgão máximo do partido entre congressos.

Braga goleia Alcains (4-1) e segue em frente na Taça de Portugal

O Sporting de Braga recebeu e venceu, na tarde deste domingo, o Alcains, por 4-1 e qualificou-se para a quarta eliminatória da Taça de Portugal em futebol. Mesmo sem deslumbrar, a turma minhota goleou facilmente o frágil...

Inquérito

O Orçamento de 2015 é eleitoralista?

Sim
Não

Dossiês

Viseu a património da humanidade
Viseu a património da humanidade
Português atual
Português atual

EntrepostoCRP SemanaCliente - JN 300x100
Empresas na Caixa 300x100 JN
Fazemos Bem JN 300x100
BT Edições Multimédia
Ocasião/Zaask - Destaque 300x100 DN
JN Descontos Geral 300x100
 

Futebol

Vídeos da Liga
Liga Zon Sagres
Classificação
Resultados
Próxima Jornada
1 - Benfica (19)
2 - FC Porto (15)
3 - V. Guimarães (14)
4 - Sporting (13)
5 - Marítimo (12)
6 - Rio Ave (11)
7 - Sp. Braga (11)
8 - P. Ferreira (11)
9 - Belenenses (11)
10 - V. Setúbal (8)
11 - Académica (7)
12 - Moreirense (7)
13 - Arouca (7)
14 - Boavista (7)
15 - Estoril (6)
16 - Nacional (5)
17 - Penafiel (4)
18 - Gil Vicente (2)

Serviços


TEMPO Dados fornecidos por Wunderground
  • 29ºC
  • 17ºC
  • HOJE
  • 27ºC
  • 17ºC
  • AMANHÃ

 

banner Barómetro Tomar o pulso ao país
Economia Social


Controlinveste Conteúdos, S.A. Todos os direitos reservados
Termos de Uso e Política de Privacidade |  Ficha Técnica |  Quem Somos |  Contactos |  Webmaster This website is ACAP-enabled