JN
Diretor Interino
Alfredo Leite

Saber não ouvir

Publicado

 

Devo ser dos poucos portugueses que não conseguem ter opinião peremptória sobre as causas e modos de combater os incêndios florestais. Esta minha hesitação vem desde que, há 27-anos-27, organizei e reportei, no 'Diário de Notícias', uma mesa-redonda com algumas das pessoas mais habilitadas sobre o assunto, e verifiquei que, desde então, poucas dúvidas e controvérsias foram superadas pelos especialistas e decisores.

Para dar um exemplo: quando então se falou na «limpeza das matas», alguém conhecedor explicou, branda e pedagogicamente, que é preciso muito cuidado e ciência, porque o subbosque é uma garantia de manutenção da humidade dos terrenos e da sobrevivência das árvores. Não se pode «limpar» a eito.

Limpar as matas exige conhecimentos, sabedoria. É, pois, uma tarefa muito mais adequada aos infatigáveis cérebros dos deputados do CDS do que aos semianalfabetos beneficiários do rendimento mínimo. Tal como acredito que estes, se fossem deputados, produziriam muito mais ideias para pôr outros a trabalhar sem paga do que os prodigiosos criativos de Paulo Portas.

Como jornalista, de incêndios, sei o que dizem o bom senso e os psicólogos que estudam o assunto, em matéria de divulgação de imagens: é preferível mostrar o que ficou queimado do que aquilo que está a arder, para não entusiasmar os doentes da piromania. E que não devem ser estimulados sentimentos de pânico, vingança e ódio cego entre as testemunhas dos fogos, evitando dar-lhes a palavra ao vivo e em directo, sem nos asseguramos do princípio deontológico de só entrevistar pessoas em condições de serenidade e responsabilidade.

Esta prudência tem a ver com as vítimas desesperadas, mas igualmente com os mirones e outros que fazem da mediatização o seu modo de vida. A prevenção de não ouvir nem dar voz estende-se, por exemplo, àquele presidente de câmara que defendeu, quiçá entontecido pela fumaça da floresta, que os incendiários deviam ser obrigados, como medida acessória da pena, a ajudar a apagar os incêndios. Não se sabe se o condenado deveria apagar o fogo que ateou - o que levaria o tribunal a interditar a acção dos bombeiros durante três a seis anos, para que o suspeito o fosse apagar, quando transitada a sentença em julgado - ou se de futuros incêndios, algo como reeducar uma raposa obrigando-a a guardar a fauna sobrevivente do galinheiro que depredou.

E quais as penas principais e acessórias para os assim-chamados responsáveis que fazem declarações incendiárias na vertigem do populismo mediático?

ImprimirImprimirEnviarEnviarEstatísticas
Partilhar
 [?]
 
 
 

Roubo a farmácia durou dois minutos

VER VÍDEO




Menina de 9 anos mata acidentalmente o instrutor de tiro
Uma menina de 9 anos matou, acidentalmente, o instrutor de tiro quando manuseava uma pistola-metralhadora Uzi, no Arizona...

Quem vence as primárias no PS?

António Costa
António José Seguro
 

 

Incêndio destrói duas casas e deixa homem desalojado

Sandra Ferreira
Duas habitações foram ao princípio desta noite de quarta-feira destruídas por um incêndio que deflagrou na localidade de Granja, Mões, no concelho de Castro Daire. Uma das casas era habitada por um homem, com cerca de 50 anos, que teve de receber oxigénio.

   
 
Mais Notícias

Buscas por avião desaparecido concentram-se mais a sul

As autoridades australianas anunciaram, esta quinta-feira, que as buscas pelo Boeing 777 da Malaysia Airlines que desapareceu no oceano Índico quando ligava Kuala Lumpur a Pequim, no voo MH370, vão concentrar-se num ponto mais a sul da atual zona de buscas.

Avaria deixou 11 milhões de norte-americanos sem Net

Cerca de 11 milhões de norte-americanos ficaram sem acesso à internet, na quarta-feira, devido a uma falha no sistema da Time Warner Cable.

João Sousa na segunda ronda do US Open

O português João Sousa, 32.º cabeça de série, apurou-se na quarta-feira para a segunda ronda do US Open em ténis, ao derrotar o canadiano Frank Dancevic.

Perito transferido para os EUA devido a contacto com infetado por Ébola

Um perito do Centro de Controlo e Doenças foi transferido em voo privado da África Ocidental para os Estados Unidos depois de ter estado em contacto com um trabalhador sanitário internacional a quem, recentemente, foi diagnosticado positivamente o vírus Ébola.

Captura de lingueirão ou navalha proibida até dezembro de 2015

A captura, manutenção a bordo e descarga de longueirão, lingueirão ou navalha é proibida até dezembro de 2015, de acordo com uma portaria aprovada pelo Ministério da Agricultura e do Mar divulgada em Diário da República.

Neil Young termina casamento de 36 anos

F.M.
O cantor, 68 anos, já entrou com o pedido de divórcio de Pegi Young, com estava casado desde 1978.


Dossiês

Viseu a património da humanidade
Viseu a património da humanidade

/Dossies/dossie.aspx?dossier=Viseu a património da humanidade

Português atual
Português atual

/Dossies/dossie.aspx?dossier=Português atual


Cartoon Elias o sem abrigo, de R. Reimão e Aníbal F

Especiais


Multimédia
Blogues
Inquérito



Continente Uva d'Ouro - JN 300x100
BT Edições Multimédia

Ocasião/Zaask - Destaque 300x100 DN
Últimas
+Lidas
+Comentadas
+Pesquisadas
 

Futebol

Vídeos da Liga
Liga Zon Sagres
Classificação
Resultados
Próxima Jornada
1 - Rio Ave (6)
2 - V. Guimarães (6)
3 - Belenenses (6)
4 - Benfica (6)
5 - FC Porto (6)
6 - Sp. Braga (4)
7 - Sporting (4)
8 - Moreirense (4)
9 - V. Setúbal (3)
10 - Marítimo (3)
11 - Académica (1)
12 - Arouca (1)
13 - Estoril (1)
14 - Nacional (0)
15 - P. Ferreira (0)
16 - Gil Vicente (0)
17 - Boavista (0)
18 - Penafiel (0)

Serviços


TEMPO Dados fornecidos por Wunderground
  • 22ºC
  • 14ºC
  • HOJE
  • 24ºC
  • 16ºC
  • AMANHÃ

 

destaque conselhoeditorial
banner Barómetro Tomar o pulso ao país
Economia Social


Controlinveste Conteúdos, S.A. Todos os direitos reservados
Termos de Uso e Política de Privacidade |  Ficha Técnica |  Quem Somos |  Contactos |  Webmaster This website is ACAP-enabled