A geração nem-nem
21.12.2010
Paulo Ferreira

Os sociólogos espanhóis chamam-lhe, com rigor e acutilância, a "geração nem-nem". Quem a compõe? Pessoas com idades compreendidas entre os 15 e os 30 anos que não têm qualquer ocupação: nem trabalham, nem estudam. Quantos são em Portugal? No terceiro trimestre de 2010 eram 314 mil, segundo com os últimos dados do Instituto Nacional de Estatística (INE). Trata-se do valor mais alto dos últimos anos. Desde 2007, este batalhão aumentou em cerca de 30 mil!

Há, seguramente, uma miríade de explicações para este fenómeno que emcaminha pessoas para lugar nenhum. Se fosse possível, a análise caso a caso mostraria, com toda a certeza, que, no meio destes 300 mil indivíduos, coabitam preguiçosos e trabalhadores, gente que faz de tudo para ganhar a vida e gente que prefere a modorra dos dias e o guarda- -chuva dos apoios sociais, pessoas que se refugiam na degradação dos salários e do mercado laboral para justificaram a apatia e a indolência e pessoas que, apesar disso tudo e de muito mais, levantam a cabeça e, seguras do seu mérito, não abandonam a batalha...

Verdade que esta realidade não é um exclusivo português. Verdade que há imensos exemplos de pessoas dentro desta faixa etária que, com arte, engenho e suor, conseguiram escapar a esta miserável estatística. Verdade que, hoje, os jovens estão mais preparados para fugirem, se quiserem, aos apelos do facilitismo. Mas é verdade também que as condições em que o país vive - e viverá durante muitos anos, se o juízo assomar à cabeça dos nossos líderes políticos, empresariais e sindicais - não auguram nada de bom.

Os empregos não brotarão. O mercado laboral não aguentará a rigidez que hoje mantém. O acesso aos serviços de saúde e à educação deixará de ser tão descaradamente fácil, para alguns. Os subsídios e apoios sociais tenderão a diminuir. Ou seja: o Estado, exaurido como está, tem que se reinventar - e não se reinventará mantendo- -se como inesgotável fonte de ajudas para os que mais precisam e para os que, precisando, podem lutar mais para deixar de precisar.

De modo que a "geração nem-nem" tenderá a engrossar a estatística. A menos que, em bom português, faça pela vida. O primeiro e inescapável facto a ter em conta é este: a breve prazo, o Estado não os poderá sustentar.

ver todos os artigos do autor
 



Bombeiros de Barcelos ajudaram Leonor a nascer em casa
foto Olga Costa/JN

Bombeiros ajudaram bebé a nascer em casa

OLga Costa
A mãe já tinha sido alertada na última consulta de que a pequena Leonor poderia não esperar pelo fim da gestação para nascer, e assim foi. A bebé nasceu este domingo, em casa, em Barqueiros, com a ajuda de dois bombeiros da corporação de Barcelos.
 
 
Cartoon Elias o sem abrigo de R. Reimão e Aníbal F. 22-12-2014

Negociações entre Kiev e rebeldes anunciadas para quarta e sexta-feira em Minsk

O presidente ucraniano, Petro Poroshenko, anunciou, esta segunda-feira, que as anunciadas negociações de paz entre os rebeldes "pró-russos" do leste do país e Kiev vão decorrer na quarta-feira e sexta-feira em Minsk.

Matheus titular no Braga no jogo frente ao Paços de Ferreira

Sérgio Conceição, técnico do Sporting de Braga, promove apenas a troca de guarda-redes no onze inicial, para a receção, esta segunda-feira (19 horas, SportTV1), ao Paços de Ferreira, em jogo da 14.ª jornada da Liga de futebol Deste...

Rui Silveira diz que "grande maioria" dos administradores não praticou gestão ruinosa

O ex-administrador executivo do Banco Espírito Santo, Rui Silveira, assegurou, esta segunda-feira, no parlamento, que a grande maioria dos antigos membros executivos do banco são "totalmente alheios" à prática de atos de...

Rui Silveira diz que Banco de Portugal podia ter afastado Salgado

O ex-administrador executivo do BES Rui Silveira considerou, esta segunda-feira, que a discussão em torno da idoneidade de Ricardo Salgado é uma "falsa questão" e o Banco de Portugal podia ter afastado o banqueiro sem recurso...

Bruxelas aponta que aumento de salário mínimo pode prejudicar desempregados

A Comissão Europeia defendeu, esta segunda-feira, que o aumento do salário mínimo nacional em Portugal poderá ajudar a aumentar os rendimentos de quem está empregado, mas poderá também prejudicar quem está desempregado.

Bruxelas alerta que ritmo das reformas abrandou consideravelmente

A Comissão Europeia alertou que o ritmo das reformas estruturais abrandou consideravelmente desde o final do programa de resgate e que alguns ganhos foram mesmo revertidos.

Inquérito

Quem será eleito o melhor jogador do Mundo?

Messi
Neuer
Ronaldo

Dossiês

A detenção de Sócrates
A detenção de Sócrates
O caso BES
O caso BES
Português atual
Português atual

Cronologia 2014
PEPE Jornadas Empreendedorismo Turismo - JN Destaque
Fazemos Bem JN 300x100
BT Edições Multimédia
TSF Superbrand - JN destaque
 

Futebol

Vídeos da Liga
1ª Liga
Classificação
Resultados
Próxima Jornada
1 - Benfica (37)
2 - FC Porto (31)
3 - V. Guimarães (28)
4 - Sporting (27)
5 - Sp. Braga (25)
6 - P. Ferreira (22)
7 - Belenenses (21)
8 - Moreirense (20)
9 - Rio Ave (19)
10 - Estoril (18)
11 - Marítimo (16)
12 - Boavista (13)
13 - Nacional (12)
14 - Arouca (12)
15 - Penafiel (11)
16 - V. Setúbal (11)
17 - Académica (10)
18 - Gil Vicente (6)

Serviços


TEMPO Dados fornecidos por Wunderground
  • 15ºC
  • 6ºC
  • HOJE
  • 16ºC
  • 6ºC
  • AMANHÃ

 

banner Barómetro Tomar o pulso ao país


Controlinveste Conteúdos, S.A. Todos os direitos reservados
Termos de Uso e Política de Privacidade |  Ficha Técnica |  Quem Somos |  Contactos |  Webmaster This website is ACAP-enabled