Nós só queremos Lisboa a arder
12.12.2011
Jorge Fiel

Nós não queremos mesmo Lisboa a ser consumida pelas labaredas. O que nós queremos é dizer, em voz bem alta, que estamos fartos de ser chulados.

Há alguns anos (não muitos), com os ânimos incendiados pela vã tentativa do estado-maior benfiquista de quebrar a hegemonia portista com manobras na secretaria, esteve em voga a palavra de ordem "Nós só queremos Lisboa a arder".

A provocação não caiu no goto da generalidade dos residentes na capital, pelo que amiúde alguns lisboetas, meus amigos ou conhecidos, perguntavam-me se também eu achava bem a ideia de pegar fogo à sua cidade.

"Não. Lisboa é uma bela cidade. O que defendo é o uso de uma bomba de neutrões, de modo a preservar o magnífico património edificado". Foi esta a resposta que formatei para dar nessas ocasiões. Quando a pergunta não é séria, sinto-me desobrigado de responder a sério.

Neste novo século, trabalhei oito anos em Lisboa, uma das mais bonitas cidades do Mundo, pela qual é muito fácil uma pessoa ter uma paixão fugaz e à primeira vista.

Estou imensamente feliz por o JN me ter proporcionado voltar a viver na cidade que amo e onde nasci, mas não posso negar que, de vez em quando, ainda sinto uma pontinha de saudade de alguns pequenos prazeres que Lisboa pode oferecer, como um fim de tarde no miradouro da Graça, petiscar ao almoço uma sanduíche de rosbife e um copo de branco no terraço do Regency Chiado, ou tomar o café matinal na esplanada da Ponta do Sal, em S. Pedro do Estoril.

Quando alguém é incapaz de diferenciar se estamos a falar em sentido estrito ou figurado, geram-se situações embaraçosas e terríveis mal-entendidos. Ninguém quer mesmo Lisboa a arder. O que queremos a arder, num fogo purificador, é a governação centralista que empobrece o Norte e desgraça o país.

O modelo centralista de pôr todas as fichas em Lisboa, partilhado por todos os partidos do arco da governação, é o responsável por 2000-2010 ter sido a pior década de Portugal desde 1910-20 - anos terríveis em que vivemos uma guerra mundial, golpes de Estado e a epidemia da gripe espanhola.

Na primeira década deste século, o crescimento médio anual da nossa economia foi de 0,47%, apesar do afluxo diário médio de seis milhões de euros de Bruxelas, que valiam todos os anos 2% do PIB.

Já ultrapassado pelo Alentejo e Açores, o Norte é a região mais pobre do país, apesar de ser a que mais contribui para a riqueza nacional, com 28,3% do PIB, logo a seguir a Lisboa e Vale do Tejo, com uns 36% enganadores, já que aí está contabilizada a produção feita noutras partes do país pelas grandes companhias nacionais e multinacionais com sede na capital.

Quando leio (ver página 2) que ao abrigo do famoso efeito de dispersão - uma vigarice inventada para desviar para Lisboa fundos comunitários - dinheiro destinado às regiões mais pobres está a ser usado pelos serviços gerais e de documentação da Universidade de Lisboa, dá-me vontade de ir para a rua gritar "Nós só queremos Lisboa a arder".

Não. Nós não queremos mesmo Lisboa a ser consumida pelas labaredas. O que queremos é dizer que estamos fartos de ser chulados e já é tempo de impedir que Portugal continue a arder em lume brando, por culpa de governantes incompetentes ou corruptos.

ver todos os artigos do autor
 



Bombeiros de Barcelos ajudaram Leonor a nascer em casa
foto Olga Costa/JN

Bombeiros ajudaram bebé a nascer em casa

OLga Costa
A mãe já tinha sido alertada na última consulta de que a pequena Leonor poderia não esperar pelo fim da gestação para nascer, e assim foi. A bebé nasceu este domingo, em casa, em Barqueiros, com a ajuda de dois bombeiros da corporação de Barcelos.
 
 
Cartoon Elias o sem abrigo de R. Reimão e Aníbal F. 22-12-2014

Morreu a atriz britânica Billie Withelaw

A atriz britânica Billie Whitelaw, conhecida pelo trabalho com o escritor e dramaturgo irlandês Samuel Beckett, morreu no domingo aos 82 anos, revelou o filho à BBC.

Número do Jocker

Conheça o número do Jocker sorteado este domingo.

Governo basco propõe plano para acelerar desarmamento da ETA

O governo do País Basco, Espanha, apresentou uma proposta para acelerar o processo de desarmamento do grupo separatista ETA, três anos depois de ter terminado a luta armada.

Os excessos de Natal ou os excessos do resto do ano?

1. Não poderíamos deixar passar nesta edição o reconhecimento a mais um prémio conseguido por um hospital da Região Norte. O Santo António foi este ano escolhido como Hospital do Ano por uma multinacional espanhola que se...

Instituições para sem-abrigo não acolhem portugueses há menos de cinco anos no Luxemburgo

A situação dos portugueses que vivem nas ruas do Luxemburgo agravou-se no último ano, com as instituições que acolhem os sem-abrigo a recusarem estrangeiros há menos de cinco anos no país, disse fonte da Caritas.

Benfica vence Gil Vicente com golo ilegal

Benfica garantiu o triunfo na receção ao Gil Vicente na 14.ª jornada da Liga com um golo irregular de Nico Gaitán. Veja os lances do jogo.

Inquérito

Quem será eleito o melhor jogador do Mundo?

Messi
Neuer
Ronaldo

Dossiês

A detenção de Sócrates
A detenção de Sócrates
O caso BES
O caso BES
Português atual
Português atual

Cronologia 2014
PEPE Jornadas Empreendedorismo Turismo - JN Destaque
Fazemos Bem JN 300x100
BT Edições Multimédia
TSF Superbrand - JN destaque
 

Futebol

Vídeos da Liga
1ª Liga
Classificação
Resultados
Próxima Jornada
1 - Benfica (34)
2 - FC Porto (31)
3 - V. Guimarães (28)
4 - Sp. Braga (25)
5 - Sporting (24)
6 - P. Ferreira (22)
7 - Belenenses (21)
8 - Rio Ave (19)
9 - Estoril (18)
10 - Moreirense (17)
11 - Marítimo (16)
12 - Boavista (13)
13 - Nacional (12)
14 - V. Setúbal (11)
15 - Penafiel (10)
16 - Académica (9)
17 - Arouca (9)
18 - Gil Vicente (6)

Serviços


TEMPO Dados fornecidos por Wunderground
  • 17ºC
  • 6ºC
  • HOJE
  • 16ºC
  • 6ºC
  • AMANHÃ

 

banner Barómetro Tomar o pulso ao país


Controlinveste Conteúdos, S.A. Todos os direitos reservados
Termos de Uso e Política de Privacidade |  Ficha Técnica |  Quem Somos |  Contactos |  Webmaster This website is ACAP-enabled