O sono desassossegado de Relvas
19.02.2013
Paulo Ferreira

O ministro Miguel Relvas anda com o sono trocado - e a culpa é da taxa de desemprego, sobretudo na componente que afeta os mais jovens. "São números preocupantes. O desemprego tira--nos o sono e é muito motivador para o trabalho que estamos todos os dias a desenvolver", disse o ministro quando, há dias, ficamos a saber que, oficialmente, estamos muito perto de um terrível número redondo: um milhão de desempregados.

O advérbio de modo "oficialmente" conta - e muito. Porque, na verdade, as contas que realmente interessam mostram que há em Portugal 1,2 milhões de pessoas sem trabalho. O que nos resta? "Temos de trabalhar, para que nos próximos anos possamos ultrapassar esta situação, em particular o desemprego jovem", disse o ministro. E acrescentou, pesaroso: "Penaliza-nos saber que há hoje uma geração de portugueses que estão muito bem preparados e que não têm emprego".

Não têm nem terão, nos próximos anos. Não sou eu que o digo: é o primeiro-ministro. Passos Coelho, naquele seu jeito eu-nunca--minto-podem-sempre-crer-no--que-eu- digo, apressou-se a confirmar que, antes de começar a melhorar, o desemprego ainda vai piorar. Quer dizer: Relvas vai mesmo ter de recorrer aos ansiolíticos para dormir melhor, porque o país precisa dele desperto, atento e de olho vivo... Tudo o que país não deseja é que Miguel Relvas entre numa espiral recessiva, para utilizar uma expressão maldita...

Sucede que, pelo andar da carruagem e apesar de todos os encómios que o Governo jura granjear lá fora, entre os iluminados que verdadeiramente entendem a tragédia que não sai da nossa porta e nos conduzirão, devagarinho, até ao sucesso, apesar disso não se vê como poderão dormir descansados os portugueses que, por estes dias, fazem contas e contas (sempre de subtrair) ao que lhes sobra para aguentar o que resta de mês.

A queda da riqueza que produzimos está em níveis dignos de um pesadelo. A queda do consumo interno está em níveis dignos de um pesadelo. As exportações deixaram de ser uma almofada segura - e sem boas almofadas não há sono retemperador. As despesas do Estado com o desemprego (aumento de 25% no primeiro semestre de 2012) estão em níveis dignos de um pesadelo. O tombo nas receitas fiscais é um dos pesadelos que mais incomodam o superministro das Finanças. E por aí fora, numa espiral que, se não é recessiva, deve andar lá muito, muito perto.

Não falta quem diga que o pesadelo não são os números - o pesadelo é o Governo. Talvez haja algum exagero nesta consideração, porque, voltando ao ministro Relvas, não vejo como pode o Executivo desenhar políticas que tiram o sono aos seus mais importantes ministros. Seria uma espécie de masoquismo de todo incompreensível. Ou não?

ver todos os artigos do autor
 



O autocarro de turismo de passageiros despistou-se, ao início da manhã de um domingo, 27 de janeiro de 2013, no IC8
foto Ricardo Graça/Global Imagens

Condutor de autocarro envolvido em acidente com 11 mortos acusado de homicídio

 
O Ministério Público acusou de homicídio por negligência o condutor do autocarro de passageiros que, em 2013, se despistou no IC8, no concelho da Sertã, acidente que causou a morte de 11 dos 44 passageiros.
 
 
Cartoon Elias o sem abrigo de R. Reimão e Aníbal F. 19-12-2014

Novos casos de infeção e mortes por VIH/Sida diminuiram em 2013

O número de novos casos de VIH e de Sida diminuíram acentuadamente em 2013, em relação a 2012, assim como o número de mortes associadas à infeção, revela o relatório "Portugal - Infeção VIH, SIDA e Tuberculose", apresentado...

Prisão preventiva para quatro suspeitos de tráfico de droga na Marinha Grande

Os quatro homens detidos na Marinha Grande, distrito de Leiria, suspeitos do crime de tráfico de estupefacientes, vão aguardar julgamento em prisão preventiva, disse, esta sexta-feira, fonte da PSP, que desenvolveu a...

Refer diz que greve dos trabalhadores rondou os 15%

A Refer anunciou, esta sexta-feira, que a greve dos trabalhadores que contestam a fusão da empresa com a Estradas de Portugal teve uma adesão de cerca de 15%, limitando a circulação dos comboios aos serviços mínimos.

Presidente cessante espera que Sindicato dos Jornalistas continue a defender profissão

O presidente cessante da direção do Sindicato dos Jornalistas, Alfredo Maia, disse esperar que o sindicato "continue o seu caminho" de "defesa dos direitos e garantias dos jornalistas" com a nova equipa.

Inquérito

Quem será eleito o melhor jogador do Mundo?

Messi
Neuer
Ronaldo

Dossiês

A detenção de Sócrates
A detenção de Sócrates
O caso BES
O caso BES
Português atual
Português atual

Cronologia 2014
PEPE Jornadas Empreendedorismo Turismo - JN Destaque
Fazemos Bem JN 300x100
BT Edições Multimédia
TSF Superbrand - JN destaque
 

Futebol

Vídeos da Liga
1ª Liga
Classificação
Resultados
Próxima Jornada
1 - Benfica (34)
2 - FC Porto (28)
3 - V. Guimarães (28)
4 - Sp. Braga (25)
5 - Sporting (24)
6 - P. Ferreira (22)
7 - Belenenses (21)
8 - Rio Ave (19)
9 - Moreirense (17)
10 - Marítimo (16)
11 - Estoril (15)
12 - Boavista (13)
13 - Nacional (12)
14 - V. Setúbal (11)
15 - Penafiel (10)
16 - Académica (9)
17 - Arouca (9)
18 - Gil Vicente (6)

Serviços


TEMPO Dados fornecidos por Wunderground
  • 14ºC
  • 6ºC
  • HOJE
  • 17ºC
  • 7ºC
  • AMANHÃ

 

banner Barómetro Tomar o pulso ao país


Controlinveste Conteúdos, S.A. Todos os direitos reservados
Termos de Uso e Política de Privacidade |  Ficha Técnica |  Quem Somos |  Contactos |  Webmaster This website is ACAP-enabled