Distribuição de dividendos na PT é extraordionária

05/12/2010
O presidente da PT afirmou hoje, domingo, que os dividendos a distribuir este ano pelos accionistas resultam de uma "operação extraordinária" que foi a venda da Vivo, não representando uma distribuição de lucros normal.
 
Global Imagens/Orlando Almeida
Zeinal Bava defendeu, hoje, os méritos da distribuição de dividendos da PT

"É um dividendo extraordinário, nós tivemos uma operação extraordinária. Não estamos a distribuir dividendos ordinários", disse o presidente executivo da PT, Zeinal Bava, em declarações aos jornalistas à margem de uma cerimónia sobre solidariedade social.

A questão da distribuição de dividendos esteve no centro do debate político na semana que passou, com o PCP a apresentar um diploma que visava tributar ainda em 2010 a distribuição de dividendos para evitar que as empresas escapem ao pagamento de impostos, um agravamento previsto no Orçamento do Estado para 2011.

Empresas como a Jerónimo Martins, a Portucel ou a Semapa já anunciaram que vão antecipar o pagamento de dividendos em relação ao exercício deste ano.

Contudo, para Zeinal Bava, o caso da PT não representa a distribuição dos lucros normais do exercício de 2010, ao contrário de outras empresas que já anunciaram uma antecipação do pagamento do dividendo.

"Este ano não estamos a fazer nenhuma distribuição do nosso lucro normal. Houve uma operação extraordinária que foi a venda da Vivo e uma parte desse valor está a ser entregue aos nossos accionistas que são os donos da empresa", afirmou.

Zeinal Bava, recordou que, com o resultado da venda da Vivo, a PT vai investir metade do valor na brasileira Oi, vai dar 20% aos accionistas, 15% ao fundo de pensões, enquanto o restante será para "fortalecer o balanço" da empresa.

Ler Artigo Completo
 
 
 
subscreva já
newsletter diária jn
Receba diariamente no seu e-mail a Newsletter do JN e alertas de última hora

 
 
Mais Economia
28.03.15
A atribuição das novas pensões da Segurança Social está atrasada. Entre o requerimento e o deferimento podem correr seis meses. Mais: a pensão antecipada...
27.03.15
A agência de notação financeira Fitch baixou a classificação da dívida grega em dois pontos, de "B" para "CCC", devido aos "riscos elevados" que rodeiam...
27.03.15
A agência de notação financeira Fitch manteve em BB+ a classificação da dívida pública de Portugal e a apreciação positiva da sua perspetiva.
27.03.15
O secretário-geral da União Geral de Trabalhadores, Carlos Silva, defendeu, em Coimbra, um "grande entendimento" entre os partidos PS, PSD e CDS.
Comentar
Caracteres Disponíveis: 750
Enviar Comentário
Obrigado! O seu comentário ficará visível dentro de momentos.
Ocorreu um erro. Tente novamente mais tarde.

Nota: Os comentários deste site são publicados sem edição prévia e são da exclusiva responsabilidade dos seus autores.
Consulte a Conduta do Utilizador, prevista nos Termos de Uso e Política de Privacidade. O JN reserva-se ao direito de apagar os comentários que não cumpram estas regras. Aparecer como anónimo - os dados (nome e-mail) são ocultados.
Os comentários podem demorar alguns segundos para ficarem disponíveis no site.

 


Controlinveste Conteúdos, S.A. Todos os direitos reservados
Termos de Uso e Política de Privacidade |  Ficha Técnica |  Quem Somos |  Contactos |  Webmaster This website is ACAP-enabled