Chefe do governo da Ucrânia pede desculpa pela violência policial nos protestos

03/12/2013
O primeiro-ministro ucraniano, Mykola Azarov, pediu, esta terça-feira, no parlamento, desculpa pela violência da repressão policial dos protestos do fim de semana em Kiev, que fizeram dezenas de feridos.
 
Chefe do governo da Ucrânia pede desculpa pela violência policial nos protestos
foto Stoyan Nenov/REUTERS
Protesto em defesa do acordo com a UE

"Em nome do governo, quero pedir desculpa pela ação das forças de segurança em Maidan (Praça da Independência). O presidente e o governo lamentam-nas profundamente", disse Mykola Azaro no parlamento, que discute, esta terça-feira, uma moção de censura ao executivo.

Os protestos contra a decisão do governo da Ucrânia de abandonar os planos para um acordo político e comercial com a União Europeia deram origem às maiores manifestações na ex-república soviética desde a Revolução Laranja de 2004.

No domingo, mais de 30 manifestantes ficaram feridos quando a polícia usou gás lacrimogéneo e bastões para dispersar centenas de ucranianos na Praça da Independência, no centro de Kiev.

A repressão policial fez com que mais de 100000 pessoas se dirigissem à praça para se manifestar, um protesto que degenerou em violência.

Três partidos da oposição exigiram a presença do primeiro-ministro hoje no Parlamento, para a discussão de uma moção de censura.

A moção tem poucas hipóteses de ser aprovada, uma vez que o partido do presidente Viktor Ianukovitch, o Partido das Regiões, tem maioria no Parlamento.

Ler Artigo Completo
 
 
 
subscreva já
newsletter diária jn
Receba diariamente no seu e-mail a Newsletter do JN e alertas de última hora
subscrever

 
 
 



Global Notícias - Media Group S.A. Todos os direitos reservados
Termos de Uso e Política de Privacidade |  Ficha Técnica |  Quem Somos |  Contactos |  Webmaster This website is ACAP-enabled