Casos de Malária descem em Angola

20/12/2011
Angola registou 6025 mortes por malária até Outubro, menos do que as 8100 registadas em todo o ano de 2010, revelou o coordenador do programa angolano de luta contra a malária, Filomeno Fortes.
 
Casos de Malária descem em Angola
foto arquivo jn
Criança com malária

"Em 2000, Angola tinha 20 mil óbitos por malária. Em 2010, este número desceu para 8100 casos. Em 2011, até ao mês de Outubro, registámos apenas 6025 óbitos", explicou o coordenador do Programa Nacional de Luta contra a Malária, que falava na segunda-feira, durante o seminário sobre "O papel dos Media na prevenção da malária em Angola".

Filomeno Fortes disse que esta redução tem impacto directo nas taxas de mortalidade infantil e de mortalidade materna e explicou que as principais intervenções de controlo da malária em Angola assentam no diagnóstico e tratamento, bem como nas medidas preventivas, sobretudo na distribuição de redes mosquiteiras tratadas com insecticida, na luta contra o insecto que transmite a doença e na educação para a saúde.

Referiu, ainda, que os testes rápidos têm contribuído para a melhoria do diagnóstico em todos os municípios e a prescrição de medicamentos tem reduzido o aparecimento de casos graves.

No entanto, admitiu a necessidade de mais redes mosquiteiras, testes rápidos e uma maior aposta na pulverização interna de habitações com insecticida de efeito residual, para poder atingir as metas preconizadas nos Objectivos de Desenvolvimento do Milénio.

Filomeno Fortes afirmou que os desafios para os próximos quatro anos apontam para a melhoria do saneamento, do diagnóstico e tratamento. Reforçar as medidas preventivas e a mobilização comunitária também se enquadram nos desafios a ser atingidos nos próximos anos.

"Angola está a desenvolver com os países da África Austral iniciativas de controlo da malária a nível das fronteiras" sublinhou.

Ler Artigo Completo
 
 
 
subscreva já
newsletter diária jn
Receba diariamente no seu e-mail a Newsletter do JN e alertas de última hora

 
 
Mais Mundo
06.03.15
Seis cidadãos angolanos foram repatriados esta semana para Luanda, após recusada a entrada em vários países, incluindo nos Estados Unidos, por suspeita...
04.03.15
Moradores dos bairros Mutauanha e Muatala, na cidade de Nampula, norte de Moçambique, lincharam com recursos a paus e pedras dois supostos assaltantes...
04.03.15
A União Europeia considerou, esta quarta-feira, o assassínio do constitucionalista moçambicano Gilles Cistac, um "ataque à liberdade de expressão".
03.03.15
O constitucionalista moçambicano Gilles Cistac morreu, esta terça-feira, no Hospital Central de Maputo, vítima de vários tiros disparados por desconhecidos...
Comentar
Caracteres Disponíveis: 750
Enviar Comentário
Obrigado! O seu comentário ficará visível dentro de momentos.
Ocorreu um erro. Tente novamente mais tarde.

Nota: Os comentários deste site são publicados sem edição prévia e são da exclusiva responsabilidade dos seus autores.
Consulte a Conduta do Utilizador, prevista nos Termos de Uso e Política de Privacidade. O JN reserva-se ao direito de apagar os comentários que não cumpram estas regras. Aparecer como anónimo - os dados (nome e-mail) são ocultados.
Os comentários podem demorar alguns segundos para ficarem disponíveis no site.

 

Mais Lidas
03.03.15
A PJ deteve três homens, com idades entre os 37 e os 49 anos, suspeitos de associação criminosa, sequestro, roubo qualificado, usurpação de funções...


Controlinveste Conteúdos, S.A. Todos os direitos reservados
Termos de Uso e Política de Privacidade |  Ficha Técnica |  Quem Somos |  Contactos |  Webmaster This website is ACAP-enabled