Português criou gel para tratar feridas crónicas com células estaminais

10/09/2012
Um investigador português criou um gel "inovador" com células estaminais para o tratamento de feridas crónicas, mas para a aplicação desta terapêutica é preciso encontrar células criopreservadas compatíveis com o doente e que possam ser doadas.
 

A empresa Crioestaminal, que financiou em cerca de 300 mil euros a investigação, apresentou hoje publicamente o que apelida como um "gel revolucionário com células estaminais do cordão umbilical para o tratamento de feridas crónicas".

Segundo o cientista Lino Ferreira, o gel deverá ser especialmente aplicado em pessoas diabéticas com úlceras nos pés que já não cicatrizam.

"É um gel que contem células estaminais do sangue do cordão umbilical e células derivadas destas células estaminais [endoteliais]" que é aplicado na ferida.

No entanto, o investigador admite que este gel não promove o tratamento, ou cicatrização completa das feridas, apenas "ajuda a cicatrizar".

A fabricação do gel, quando estiver comercializado, também obedece a regras, a principal das quais é a compatibilidade entre o dador e o doente.

Lino Ferreira explicou que primeiro é preciso encontrar um dador compatível com o doente específico e que, só então, é fabricado o gel com aquelas células, para aquele doente em particular.

Ler Artigo Completo
 
 
 
subscreva já
newsletter diária jn
Receba diariamente no seu e-mail a Newsletter do JN e alertas de última hora
subscrever

 
 
Mais Nacional
02.09.15
Metade de um grupo de mil portugueses tem excesso de peso ou obesidade, mas somente um em cada 10 tem consciência de ser obeso, salienta Ana Macedo...
 



Global Notícias - Media Group S.A. Todos os direitos reservados
Termos de Uso e Política de Privacidade |  Ficha Técnica |  Quem Somos |  Contactos |  Webmaster This website is ACAP-enabled