Português criou gel para tratar feridas crónicas com células estaminais

10.09.2012 - 14:51
Um investigador português criou um gel "inovador" com células estaminais para o tratamento de feridas crónicas, mas para a aplicação desta terapêutica é preciso encontrar células criopreservadas compatíveis com o doente e que possam ser doadas.
 

A empresa Crioestaminal, que financiou em cerca de 300 mil euros a investigação, apresentou hoje publicamente o que apelida como um "gel revolucionário com células estaminais do cordão umbilical para o tratamento de feridas crónicas".

Segundo o cientista Lino Ferreira, o gel deverá ser especialmente aplicado em pessoas diabéticas com úlceras nos pés que já não cicatrizam.

"É um gel que contem células estaminais do sangue do cordão umbilical e células derivadas destas células estaminais [endoteliais]" que é aplicado na ferida.

No entanto, o investigador admite que este gel não promove o tratamento, ou cicatrização completa das feridas, apenas "ajuda a cicatrizar".

A fabricação do gel, quando estiver comercializado, também obedece a regras, a principal das quais é a compatibilidade entre o dador e o doente.

Lino Ferreira explicou que primeiro é preciso encontrar um dador compatível com o doente específico e que, só então, é fabricado o gel com aquelas células, para aquele doente em particular.

Ler Artigo Completo
 
 
Fazemos Bem JN 300x100
BT Edições Multimédia
 
subscreva já
newsletter diária jn
Receba diariamente no seu e-mail a Newsletter do JN e alertas de última hora

 
 
VER VÍDEO
Close-up

Linklater filmou vida de jovem ao longo de 12 anos

Live TrailersVirados do Avesso
AtualidadeO anúncio das medidas de coação aplicadas a Sócrates
Comentar
Caracteres Disponíveis: 750
Enviar Comentário
Obrigado! O seu comentário ficará visível dentro de momentos.
Ocorreu um erro. Tente novamente mais tarde.

Nota: Os comentários deste site são publicados sem edição prévia e são da exclusiva responsabilidade dos seus autores.
Consulte a Conduta do Utilizador, prevista nos Termos de Uso e Política de Privacidade. O JN reserva-se ao direito de apagar os comentários que não cumpram estas regras. Aparecer como anónimo - os dados (nome e-mail) são ocultados.
Os comentários podem demorar alguns segundos para ficarem disponíveis no site.

4 Comentários

Mais Lidas
21.11.14
O cabecilha de um esquema de casamentos por conveniência de imigrantes paquistaneses no Reino Unido com mulheres portuguesas foi condenado a quatro...
22.11.14
Um britânico perdeu o gato de estimação em 2003, mas nunca deixou de o procurar. Onze anos depois, dono e gato voltaram a reunir-se.


Controlinveste Conteúdos, S.A. Todos os direitos reservados
Termos de Uso e Política de Privacidade |  Ficha Técnica |  Quem Somos |  Contactos |  Webmaster This website is ACAP-enabled