Acidente com camião mata condutor

 | 08/07/2010
No local, nada deixava margens para dúvidas: o acidente que ontem tirou a vida a Rui Valente, na EN 105, em Santo Tirso, foi violento. Abalroado por um camião TIR, o ligeiro de mercadorias que a vítima (residente no Porto) conduzia ficou destruído.
 
TAGS

    A manhã não augurava nada de bom naquela estrada, com o despiste de um motociclo, às 7.35 horas, a provocar um ferido ligeiro. Mas seria difícil imaginar o que se seguiria uma hora mais tarde, a escassos metros de distância.

    Surpreendido por perto de 40 toneladas de um veículo em despiste, em plena recta, e sem hipótese de fuga, o Opel Combo da empresa de transporte de encomendas GLS, que seguia na direcção de Santo Tirso (oposta à do camião), sofreu o embate frontal - atingiu mais o lado do condutor - e foi arrastado pelo pesado até sair da estrada, numa zona onde existem rails de protecção.

    A violência do impacto fez com que o ligeiro arrancasse o rail, dobrando-o e levando-o debaixo do chassis até ao campo agrícola contíguo à EN 105, na freguesia de Agrela, onde o condutor ficou encarcerado. Eram 8.40 horas. Rui António Gomes Valente, de 70 anos, morreu no local, apesar das tentativas de reanimação que os Bombeiros Voluntários de Santo Tirso fizeram depois de o desencarcerarem.

    O corpo da vítima, que residia na zona do Castelo do Queijo, no Porto, foi levado para o Instituto de Medicina Legal de Guimarães, a fim de ser autopsiado. O condutor do camião saiu ileso do acidente, apesar de o veículo ter engolido rails, imobilizado-se mais à frente, no mesmo campo, com a cabine virada para a traseira do atrelado. Não quis falar ao JN.

    Aos bombeiros e à GNR de Santo Tirso, que vai investigar o acidente, explicou os contornos da situação. "Cruzou com outro camião, que vinha um pouco fora de mão. Ao tentar encostar-se o mais possível à berma, foi à valeta e a direcção fugiu-lhe. Como é um camião com galera, deve ter perdido o controlo e atirou a frente para a outra carrinha", explicou o segundo comandante dos Voluntários de Santo Tirso, Firmino Neto.

    As marcas de travagem do pesado no asfalto eram visíveis sensivelmente a partir da berma e prolongavam-se até ao local onde saiu da estrada, numa extensão de cerca de 20 metros. Aquele troço da EN 105, situado ao quilómetro 10.5, esteve cortado ao trânsito até à remoção dos veículos, operação que se prolongou até às 18.30 horas. O tráfego foi direccionado para estradas secundárias.

    Ler Artigo Completo
     
     
    Comentar
    Caracteres Disponíveis: 750
    Enviar Comentário
    Obrigado! O seu comentário ficará visível dentro de momentos.
    Ocorreu um erro. Tente novamente mais tarde.

    Nota: Os comentários deste site são publicados sem edição prévia e são da exclusiva responsabilidade dos seus autores.
    Consulte a Conduta do Utilizador, prevista nos Termos de Uso e Política de Privacidade. O JN reserva-se ao direito de apagar os comentários que não cumpram estas regras. Aparecer como anónimo - os dados (nome e-mail) são ocultados.
    Os comentários podem demorar alguns segundos para ficarem disponíveis no site.

     
     
    Tem alguma informação para corrigir ou para acrescentar a este conteúdo?
    Escreva-nos
     
    NOS ConferênciaPrémioInovaçãoNOS - JN Destaque
    PEPE Jornadas Empreendedorismo Turismo - JN Destaque
    BT Edições Multimédia
     
    1ª Liga
    1|Benfica59
    2|FC Porto55
    3|Sporting47
    4|Sp. Braga46
    5|V. Guimarães40
    6|Belenenses34
    7|Nacional31
    8|P. Ferreira30
    9|Rio Ave29
    10|Moreirense28
    11|Marítimo27
    12|Estoril25
    13|Boavista22
    14|Arouca20
    15|Académica19
    16|V. Setúbal19
    17|Gil Vicente18
    18|Penafiel16

    Serviços


    13º 10º
    HOJE, 02 de Março

    Amanhã14º |
    Quarta17º |
    Quinta16º |
    Sexta17º |

     



    Controlinveste Conteúdos, S.A. Todos os direitos reservados
    Termos de Uso e Política de Privacidade |  Ficha Técnica |  Quem Somos |  Contactos |  Webmaster This website is ACAP-enabled