Cultura

Pôr os conhecimentos à prova na mesa de um bar

Pôr os conhecimentos à prova na mesa de um bar

E se lhe dissessem que poderia aprender muita coisa, sentado à mesa de um bar, numa competição amigável? Há cada vez mais sítios a receber sessões de quiz aos serões, em que o conhecimento dos participantes é colocado à prova... E há cada vez mais pessoas a aceitar o desafio.

O fenómeno do quiz de bar chegou a Portugal através dos "irish pubs", que trouxeram a tradição de Dublin. Há uma década, a ideia foi sendo gradualmente adotada por cá, mas é agora que mais prolifera. Em Lisboa, há sessões que chegam a ter mais de cem participantes, garante André Ascensão, um dos organizadores do primeiro Campeonato Nacional de Quiz, que tem lugar na capital este fim de semana.

"Os números estão sempre a crescer. Existem várias equipas que vão todas as semanas a vários quizzes e levam a coisa a sério. Mas o público vai mudando muito e há sempre muita gente nova a aparecer", explica André Ascensão.

A ideia destes serões é pôr à prova os conhecimentos de quem participa através da competição saudável e, acima de tudo, passar uma noite diferente em boa companhia. "É uma atividade de grupo, maioritariamente. Já conheci muita gente no quiz. Fazem-se muitas amizades assim e até foi num quiz que conheci a minha namorada", confessa.

Quem partilha da mesma opinião é Jorge Páramos e Sofia Santos, ambos investigadores e frequentadores assíduos de quizzes há pelo menos uma década. "Fazem-se amigos nisto", diz Jorge, que foi o "culpado" da primeira aventura de Sofia no mundo do quiz. "Era muito engraçado e ganhávamos todas as semanas. Conheci os meus melhores amigos em noites de quiz", admite a jogadora e "quiz master" (nome que se dá ao apresentador de um quiz).

A componente lúdica é importante, mas a sabedoria é, claro está, fundamental. "O ambiente de um quiz proporciona novas amizades, mas um quiz é, sobretudo, estimulante. É um desafio a mim próprio e vamos sempre aprendendo coisas novas", assegura Rodrigo Castro, tido por muitos como um dos melhores jogadores de quiz em Portugal, e que confessa qual é a técnica para ganhar tantas vezes. "A melhor maneira de treinar para quizzes é praticando. Não é, decididamente, a marrar que se ganha", explica.

Apesar de ser necessária alguma cultura geral, todos garantem que é preciso pouco mais do que vontade para começar a participar. António Pascoalinho, um dos primeiros "quiz masters" portugueses, defende mesmo que "não há um requisito prévio" para os que se quiserem iniciar nestas lides, a não ser "a vontade de se divertirem". "E não ter medo de passar vergonha!", brinca.

Além da diversão, há muito a ganhar numa noite destas: "Não há dúvida de que participar em quizzes ajuda a estimular e a desenvolver a memória", assegura Pascoalinho.

E se ainda faltarem argumentos, Bruno Fernandes, jogador e "quiz master" em Coimbra, deixa mais um: "É uma atividade barata, pois cada jogador só paga um euro. E o prémio para a equipa vencedora é o consumo, pelo que se arranja sempre algum amigo que beba para nos acompanhar", brinca.

Recomendadas

Conteúdo Patrocinado

Outros conteúdos GM