Cultura

Velório de Bernardo Sassetti realiza-se hoje à noite na Basílica da Estrela

Velório de Bernardo Sassetti realiza-se hoje à noite na Basílica da Estrela

O corpo do pianista Bernardo Sassetti, que foi encontrado na quinta-feira no Guincho, em Cascais, será velado, este sábado, a partir da 22 horas, na Basílica da Estrela, em Lisboa, anunciou a família.

No comunicado, divulgado pela produtora OMC, afirma-se que "o funeral realizar-se-á amanhã, domingo, em cerimónia absolutamente privada".

No comunicado apela-se a que se respeite "a vontade de recato e a profunda dor" da família.

Este sábado à noite, na basílica, será realizada uma homenagem por alguns músicos ao falecido compositor e pianista, cujo conteúdo não foi revelado.

Nascido em Lisboa a 24 de junho de 1970, Bernardo Sassetti era bisneto de Sidónio Pais e sobrinho-neto do compositor Luís de Freitas Branco. Era casado com a atriz Beatriz Batarda, e tinham duas filhas.

O corpo do pianista de 41 anos foi encontrado na quinta-feira na praia do Abano, em Cascais, disse à Lusa fonte da Procuradoria-Geral da República. A morte do pianista só foi tornada pública na sexta-feira.

Ainda na sexta-feira, o Ministério Público instaurou um inquérito à morte do pianista e compositor, de acordo com fonte da Procuradoria Geral da República.

Várias foram as manifestações de pesar der amigos e companheiros de palco, sublinhando sempre "a perda irreparável" como assinalou o pianista Pedro Burmester e a "grande generosidade", como disse o editor discográfico Pedro Costa.

"Foi a pessoa mais generosa que eu conheci", sublinhou à Lusa, o editor discográfico.

"Em cada palavra, ato e, de uma forma esmagadora, na sua música e no seu tocar piano o Bernardo dizia coisas que mais ninguém disse nem voltará a dizer", escreveu em comunicado enviado à Lusa Burmester.

"Do Bernardo, recordarei sempre a simplicidade em pessoa, a sua educação extrema, mas ao mesmo tempo, um lado boémio e divertido com que envolvia os seus amigos, amigos espalhados pelos locais que visitava, amigos que sentiam a verdade que o seu sorriso sempre iluminava", afirmou numa nota enviada à Lusa o músico António Ferro.

"Ficarei sempre na dúvida, se o Bernardo era melhor pianista do que pessoa, ou se era melhor pessoa do que amigo, uma coisa é certa, a todos nós conseguiu tocar com a pureza da sua alma e com a simplicidade cinematográfica da sua música", refere no mesmo texto.

Sobre a música de Sassetti, escreve: "O Bernardo era um realizador que construía as cenas com notas e acordes e que no final montava o seu filme, entre timbres de cordas e madeiras e acordes do seu peculiar piano".

Recomendadas

Conteúdo Patrocinado

Outros conteúdos GM