terça-feira, 14 de Julho de 2009 12:54 CAF

A RAZÃO DA FILOSOFIA E A FILOSOFIA DA RAZÃO

A RAZÃO DA FILOSOFIA------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------- Desde os primórdios da Humanidade, que o Homem tenta encontrar resposta, para todos os fenomeno da natureza, onde se enquadra portanto, o desenvolvimento do próprio e da sociedade, visto que o ser humano, é por natureza, um ser social. Disse Politzer, que a filosofia é "a concepção geral do mundo, da qual se pode deduzir certa forma de conduta". Alás. já abordei este assunto no principio dos meus escritos. Se no principio, por falta de conhecimentos fisicos, o Homem sempre tentou explicar os fenómenos naturais e espirituais, com a presença "em parada" de deuses ou elementos sobrenaturais, de poder ilimitado, veio depois ao longo dos tempos, limitando ele próprio o numero desses deuses, á medida que ía descobrindo a forma fisica, absolutamente natural das coisas. No entanto, as formulas mágicas "foi deus que fez" ou "é assim que deus quer" ou ainda"deus queira", continuam ainda hoje, a "explicar" muita coisa que não passa de ignorancia. Durante milhares de anos e, ainda hoje em determinados meios, se julga e divulga a ideia, de que é a consciência que dirige a matéria, por ex. a calçada da rua, é pedra partida em paralelipipedo, porque o homem assim o quiz; mas não, realmente ela está partida, porque o Homem a partiu, mas só depois de alguém há muitos anos, ter descoberto, que andava melhor sobre a pedra do que sobre a terra, e mais tarde discorrer po experiencia casual, que esta, partida, se adaptava muito melhor ao caminho e dava muito melhor andar. Lénine disse, "que á medida que sobem os poderes do Homem, descem os poderes de deus", e é uma verdade inquestionável. Há-de chegar o dia, em que a deus, só é atribuida a origem da energia cósmica, que segundo diversas teorias, terá na origem do Universo, tal como o concebemos. Ainda hoje, já forçados pelo materialismo conhecido, muitos filósofos continuam a transmitir a ideia, de que as diversas forças filosóficas emergentes de um unico objécto ou facto, são as reais forças motoras, de tudo o que envolve o acontecimento devido ao objécto ou ao facto ocorrido, sendo estes apenas as forças de união; ou sja, veem os factos ao contrário: de fora para dentro, em legar de dentro para fora. A filosofia portanto, existe para dar uma concepção do mundo material, mas tem que ser baseada em algo de concreto, e não como muitos materialistas dos séculos XVIII, XIX E XX, que apesar de analisarem as coisas pelo prisma material, acabaram sempre por idealizar as mesmas, num materialismo bacoco, sem amarras seguras aos factos reais. Só no século XIX, é que um filosofo materialista, Engels, reuniria toda as concepções materialistas que já vinham desde o tempo dos Gregos ( Heráclito, já dizia que tudo se transformava e concebia o mundo como um todo ), e descobriu um verdadeiro método de análise dos fenomenos da natureza. Descobriu e desenvolveu e, aplcou-o com Marx, ás leis de desenvolvimento da sociedade, provando assim, que o mundo é um todo, onde cabem a matéria e a consciencia.------------------------------------------------FILOSOFIA DA RAZÃO- -------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------Este método, cujo nome é método dialético, estuda as contradições existentes na natureza e na sociedade, que as faz transformar e subir degrau atrás de degrau, na escala do avanço e transformação da natureza e da sociedade: "a dialética, considera as coisas e os conceitos no seu encandeamento, suas relações mútuas, sua acção recíproca e as decorrentes modificações mútuas, seu nascimento, seu desenvolvimento, sua decadência. ( Engels )". Assim, ao estudar as contradições na matéria ou nas sociedades, pode-se prever o resultado final, dos processos evoluitivos e também o que teve origem aos ditos processos, no passado. É por isso, que hoje a ciência, com ou sem consciência deste método, mas utilizando-o, sabe toda a sequência da História passada e futura. A diferença, está na crença que os cientistas e históriadores, têm, em como se dará a passagem do estádio actual da humanidade, para o outro que se lhe segue. Há quem reconheça o óbvio, que a contradiçaõ principal da nossa sociedade, é a que opõe o capital dominante e a classe produtiva mais explorada, a classe operária, (esta também já está transformada pela técnica, mas não deixa de ser a classe produtiva) e há quem não o consiga fazer, acreditando que a luta entre o capital na economia de mercado, seja o motor da história. No entanto, se analisarmos o passado á luz do método dialético, veremos sempre, que foram as classes directamente mais exploradas pelas detentoras do poder, que se lhe sucederam. A luta dos contrários, é o motor de tudo o que é conhecido no universo, desde o átomo, até ao ser humano. Até no nosso cerebro, existe uma luta constante entre diversos processos, sendo duas delas (duas ideias) as principais, e em que uma delas, se irá sobrepor a outra, dando um, salto qualitativo naquilo que intitulamos de consciencia. A passagem de um estádio para outro, em tudo, deve-se ao acumular quantitativo de matéria ou informação,á luta pela posse da razão, até ao salto qualitativo, que introduz o estádio superior aquele. Daí, que até a sociedade futura, o processo terá de ser conduzido pela classe operária, seja com foice e martelo, seja com um robô e um computador. A luta entre esta classe e o capital dominante, é cientificamente comprovado, a contradiçaõ principal da sociedade capitalista.. Esta é a Filosofia da Razão. A que se basea no método dialético, de análise.

Comentários

sem comentários

Comente este artigo