Cultura

Artista Miguel Januário leva ±maismenos± a Roma onde irá criar várias instalações

Artista Miguel Januário leva ±maismenos± a Roma onde irá criar várias instalações

O artista português Miguel Januário, autor do projeto ±maismenos±, estará este mês em Roma, para participar no projeto "Forgotten" (esquecido), que se desenvolve em "locais esquecidos" do centro daquela cidade italiana.

De acordo com a organização do projeto, Miguel Januário, com o ±maismenos±, irá realizar diversas instalações no centro da cidade, a partir do próximo dia 19, prestando homenagem a algumas das mais de 40 salas cinematográficas que fecharam portas em Roma, desde 2008.

Miguel Januário é o quarto, de cinco artistas portugueses, a participar no projeto de Alessandra Arpino e Hugo Dias, que se desenvolve em "locais esquecidos" ("forgotten"), no centro de Roma.

Com o projeto ±maismenos±, Miguel Januário mostra a sua faceta mais 'interventiva': a título de exemplo, "matou o rei", em Guimarães, pintou frases de pernas para o ar, em paredes do Porto, e "disse ámen", em Lisboa, em nome do Espírito Santo, da Sonae e do grupo Amorim.

A escolha de cinco artistas portugueses deveu-se à falta de obras lusas, nas "muito apreciadas" paredes pintadas de Roma, contou à Lusa Alessandra Arpino.

No ano passado, estiveram em Roma addfuel (Diogo Machado), que, com recurso ao 'stencil' (pintura com moldes), reinventou o azulejo, e Frederico Draw, conhecido pelos rostos que cria, utilizando latas de 'spray'.

Já este ano, em janeiro, Roma recebeu Bordalo II, que se destacou, nacional e internacionalmente, ao criar, em paredes, obras de arte a três dimensões, a partir desperdícios.

Addfuel inaugurou o "Forgotten" com o mural "This Connection", perto da Piazza del Popolo, que "explora a ligação estética entre os azulejos de padrão português e os mosaicos em estilo cosmati romano".

Depois foi a vez de Frederico Draw, que escolheu retratar, na fachada da antiga Fábrica Mira-Lanza, o cineasta italiano Pier Paolo Pasolini, "a partir de uma fotografia em que o seu olhar, tantas vezes pensativo, transmite uma esperança invulgar".

Já Bordalo II, com recurso a velhos caixotes do lixo, pedaços de carros, parafusos e outros tipos de lixo, deixou uma cabra na estação ferroviária de São Pedro.

O quinto artista português a participar em "Forgotten", que culmina em abril com uma exposição no MACRO -- Museu de Arte Contemporânea de Roma, será Eime.

"Forgotten" é financiado maioritariamente através de doações e da venda de serigrafias dos artistas, mas tem ainda o apoio de diversas instituições locais italianas, da Embaixada de Portugal, e o patrocínio da TAP Portugal.

Recomendadas

Outros conteúdos GM

Conteúdo Patrocinado