Literatura

Tudo o que vamos querer ler este ano

Tudo o que vamos querer ler este ano

Novos romances de Richard Ford, John Banville ou Jo Nesbö. Livros inéditos em Portugal de autores como Ken Follett, Haruki Murakami ou Philip Roth. Um livro de Malcolm Lowry dado como perdido.

Uma biografia de Rita Ferro sobre o seu avô, o controverso António Ferro. A muito esperada publicação de "Vozes de Chernobyl", obra maior da Nobel da Literatura de 2015 Svetlana Alexievich, a que se soma "A guerra não tem rosto de mulher".

Estes são apenas alguns dos incontáveis possíveis destaques do mercado editorial para 2016. A retração sentida nos últimos anos tornou as editoras mais cautelosas, mas sem que isso trouxesse o tão temido fim da diversidade. As imensas propostas ao dispor dos leitores durante os próximos meses não se esgotam, por isso, no formato dos "best sellers", pese embora o natural protagonismo que assumem.

Apesar do desinvestimento generalizado, não vão faltar motivos para lermos ficção de língua portuguesa. "Regresso ao paraíso", de Germano de Almeida, "Sebastião e o vidente", de Deana Barroqueiro, "Rio do esquecimento", de Isabel Rio Novo, "O segredo de João das Regras", de Frederico Duarte Carvalho, "Desnorte", de Inês Pedrosa, ou "As mulheres de Camões", de Maria João Lopo de Carvalho, são alguns dos muitos livros previstos neste domínio. Depois de ter conquistado o Grande Prémio APE Romance, Ana Margarida de Carvalho regressa à ficção com "Não se pode morar nos olhos de um gato".

O centenário da morte de Mário Sá-Carneiro, em abril, vai ser amplamente assinalado. A Dom Quixote publica a edição completa da sua prosa e a Assírio & Alvim faz chegar às livrarias "Cartas reencontradas de Fernando Pessoa e Mário de Sá-Carneiro", de Pedro Eiras.

Cada vez mais populares entre os leitores portugueses, os géneros ligados ao suspense voltam a conhecer grande dinamismo. Entre os livros previstos encontram-se os novos de Guillaume Musso ("O apelo do anjo") e Dolores Redondo, autora espanhola que vendeu 400 mil exemplares com "O guardião invisível" e "O legado dos ossos".

Fenómenos editoriais noutros países vão também ser publicados por cá. São os casos de "Nynfis", romance de Sari Luhtanen que se situa entre a mitologia, suspense e erotismo, e um thriller erótico de Monica James, "Addicted to sin" no original.

Ano em cheio deverão ter os leitores de biografias. No lote de protagonistas destes livros situam-se Heinrich Himmler, Norton de Matos, Diego Maradona ou Oprah Winfrey. O perfil de dois dos youtubers portugueses mais populares da atualidade é o enfoque de dois livros que chegam em maio: "Diário da rapariga dos saltos, de Glória Dias, e "Wuant", de Paulo Borges.

Conteúdo Patrocinado