Desporto

Árbitro confunde nome de jogador com insulto e expulsa treinador

Árbitro confunde nome de jogador com insulto e expulsa treinador

Caso insólito no Valadares-Aliados de Lordelo (1-2), da última jornada da Divisão de Elite da A. F. Porto, com o treinador da equipa visitante a ser expulso a 15 minutos do fim, por alegado racismo. O nome do defesa é mesmo Preto.

Um equívoco a envolver o nome dos jogadores está na origem da confusão e o jovem técnico, de 30 anos, que esta época assumiu o comando do Aliados de Lordelo, não se conforma com a decisão do árbitro João Martins, na sequência de indicação dada pelo juiz auxiliar João Teixeira.

"Nunca pensei que me fosse acontecer uma coisas destas. Tinha acabado de lançar um jogador que não está rotinado na posição. Ele é central e tive de o colocar a lateral direito. Em vez de defender, estava a subir e eu, no banco, gritei "Hugo, não subas, junta-te ao Preto e fica". Preto é o nome do central que joga pelo lado direito, mas o fiscal-de-linha repreendeu-me de imediato", conta, ao JN, Juvenal Brandão, que, na época passada, garantiu a subida do Alfenense à Divisão de Honra da A. F. Porto.

"No início, nem estava a perceber, mas o assistente voltou a dizer-me "mister, nunca mais diga isso, é racismo". Aí, caiu-me a ficha, porque o avançado do Valadares, o René, é de raça negra. Tentei explicar que Preto era o nome do meu jogador, mas, de repente, vejo o árbitro a correr na minha direção e a dar-me ordem de expulsão", explica, inconformado, o treinador, que espera ser despenalizado pelo Conselho de Disciplina da A. F. Porto.

"O Aliados vai apresentar uma exposição. No final do jogo, na presença dos delegados, falei com o árbitro e ele percebeu que pode ter havido alguma precipitação. Do lado do Valadares, toda a gente percebeu que foi um mal-entendido".

O JN tentou entrar em contacto com o árbitro João Martins, mas todas as tentativas revelaram-se infrutíferas.

Conteúdo Patrocinado