Desporto

Caballero, o herói improvável do City na conquista da Taça da Liga

Caballero, o herói improvável do City na conquista da Taça da Liga

Três defesas do guarda-redes argentino Willy Caballero no desempate por grandes penalidades lançaram, este domingo, o Manchester City para conquista da quarta Taça da Liga inglesa de futebol, graças à vitória por 3-1 sobre o Liverpool.

Após um empate 1-1 no fim do tempo regulamentar e do prolongamento, Caballero, que até essa altura pareceu um herói improvável, devido à pouca produção ofensiva do Liverpool, deteve três dos quatro remates dos 'reds', cabendo ao costa-marfinense Yaya Touré fixar o 3-1 final.

O City, que tinha erguido a Taça da Liga pela última vez há dois anos, sucedeu ao Chelsea, vencedor na época passada sob o comando do treinador português José Mourinho, conquistando o troféu pela quarta vez, metade do Liverpool, recordista de triunfos na prova, com oito.

A equipa de Manchester dominou durante grande parte do encontro e poderia ter chegado ao intervalo em vantagem, mas o guarda-redes belga Simon Mignolet desviou para o poste o remate de Aguero, aos 23 minutos, após uma boa iniciativa individual do avançado argentino.

Os 'citizens' não esperaram muito tempo na segunda parte para inaugurar o marcador, aos 49 minutos, através do médio brasileiro Fernandinho, que correspondeu à assistência de Aguero com um remate de ângulo pouco favorável, mas certeiro.

O avançado Raheem Sterling atirou ao lado duas boas oportunidades para sentenciar o encontro e foi o Liverpool que conseguiu chegar ao empate, aos 83 minutos, sem nada que o antecipasse, pelo médio brasileiro Philippe Coutinho, após um ressalto na área do City.

A equipa de Manchester procurou evitar o prolongamento, mas sem sucesso, muito por culpa de Mignolet, que deteve os remates de Fernandinho e do médio Yaya Touré, voltando a negar o golo ao City aos 105 minutos, ao desviar o remate de Aguero.

Caballero só foi obrigado verdadeiramente a aplicar-se na segunda parte do prolongamento, quando defendeu o desvio de cabeça do avançado belga Origi, mas o guardião argentino teve oportunidade de mostrar os seus dotes no desempate por grandes penalidades, em que apenas não conseguiu deter o remate de Emre Can.

O veterano guarda-redes, de 34 anos, habitual suplente de Joe Hart, defendeu as tentativas de Lucas Leiva, Coutinho e Adam Lallana e assegurou que o treinador chileno Manuel Pellegrini se despede do City com, pelo menos, um título, antes de ser substituído no fim da temporada pelo espanhol Pep Guardiola.

Conteúdo Patrocinado