Desporto

Caballero, o herói improvável do City na conquista da Taça da Liga

Caballero, o herói improvável do City na conquista da Taça da Liga

Três defesas do guarda-redes argentino Willy Caballero no desempate por grandes penalidades lançaram, este domingo, o Manchester City para conquista da quarta Taça da Liga inglesa de futebol, graças à vitória por 3-1 sobre o Liverpool.

Após um empate 1-1 no fim do tempo regulamentar e do prolongamento, Caballero, que até essa altura pareceu um herói improvável, devido à pouca produção ofensiva do Liverpool, deteve três dos quatro remates dos 'reds', cabendo ao costa-marfinense Yaya Touré fixar o 3-1 final.

O City, que tinha erguido a Taça da Liga pela última vez há dois anos, sucedeu ao Chelsea, vencedor na época passada sob o comando do treinador português José Mourinho, conquistando o troféu pela quarta vez, metade do Liverpool, recordista de triunfos na prova, com oito.

A equipa de Manchester dominou durante grande parte do encontro e poderia ter chegado ao intervalo em vantagem, mas o guarda-redes belga Simon Mignolet desviou para o poste o remate de Aguero, aos 23 minutos, após uma boa iniciativa individual do avançado argentino.

Os 'citizens' não esperaram muito tempo na segunda parte para inaugurar o marcador, aos 49 minutos, através do médio brasileiro Fernandinho, que correspondeu à assistência de Aguero com um remate de ângulo pouco favorável, mas certeiro.

O avançado Raheem Sterling atirou ao lado duas boas oportunidades para sentenciar o encontro e foi o Liverpool que conseguiu chegar ao empate, aos 83 minutos, sem nada que o antecipasse, pelo médio brasileiro Philippe Coutinho, após um ressalto na área do City.

A equipa de Manchester procurou evitar o prolongamento, mas sem sucesso, muito por culpa de Mignolet, que deteve os remates de Fernandinho e do médio Yaya Touré, voltando a negar o golo ao City aos 105 minutos, ao desviar o remate de Aguero.

Caballero só foi obrigado verdadeiramente a aplicar-se na segunda parte do prolongamento, quando defendeu o desvio de cabeça do avançado belga Origi, mas o guardião argentino teve oportunidade de mostrar os seus dotes no desempate por grandes penalidades, em que apenas não conseguiu deter o remate de Emre Can.

O veterano guarda-redes, de 34 anos, habitual suplente de Joe Hart, defendeu as tentativas de Lucas Leiva, Coutinho e Adam Lallana e assegurou que o treinador chileno Manuel Pellegrini se despede do City com, pelo menos, um título, antes de ser substituído no fim da temporada pelo espanhol Pep Guardiola.

Recomendadas

Outros conteúdos GM

Conteúdo Patrocinado