O Jogo ao Vivo

Boavista

Dragão goleia Boavista na estreia de Rui Barros

Dragão goleia Boavista na estreia de Rui Barros

O treinador interino do F. C. Porto entrou com o pé direito no cargo e os azuis e brancos venceram, por 5-0, num dérbi portuense em que a sua superioridade foi evidente.

Depois de três jogos consecutivos sem vencer, que ditaram a saída de Julen Lopetegui, os portistas voltam a sorrir no campeonato e continuam a quatro pontos do líder, Sporting.

O F. C. Porto entrou no dérbi com a notícia da vitória do Sporting sobre o Braga (3-2) e a equipa não perdeu tempo a assaltar a defesa do Bessa, contando dois lances perigosos antes de festejar o primeiro golo.

Aos 12 minutos, um passe genial de André André encontrou o peito de Herrera, com o mexicano a rodar e, de primeira, a atirar para o fundo da baliza de Gideão. Em desvantagem, o Boavista procurou reagir, mas a sorte também não ajudou Erwin Sánchez que, nos primeiros 45 minutos, foi obrigado a substituir os lesionados Tengarrinha e Henrique.

Apesar das tentativas de ataque axadrezadas, Casillas foi pouco mais do que um espectador na primeira parte, enquanto no outro extremo do terreno, Gideão negou os golos a Layún, de canto direto, e a Brahimi, que se isolou após passe de Aboubakar.

A segunda parte começou com o mesmo figurino e o mesmo resultado. André André, com mais um passe de mestre, isolou Aboubakar, mas o camaronês, em clara crise de confiança, permitiu nova defesa do guarda-redes axadrezado. Pouco depois, o ponta de lança tentou cavar uma grande penalidade, mas o melhor que conseguiu foi ver o cartão amarelo.

Aos 62 minutos, os adeptos do F. C. Porto que se deslocaram ao Bessa suspiraram de alívio, graças a uma excelente jogada individual de Corona e ao remate, de pé esquerdo, bem colocado do mexicano. A perder por dois golos, a vida do Boavista ficou ainda mais complicada quando Anderson Correa se lesionou, deixando a equipa a jogar com dez, uma vez que Sanchéz já tinha esgotado as substituições.

Aproveitou o F. C. Porto e aproveitou Aboubakar para se reencontrar com os golos, depois de dois jogos sem marcar: bem Brahimi a lançar a corrida de Layún na esquerda e excelente o cruzamento, de trivela, do mexicano para um golo fácil do camaronês.

O Boavista ainda festejou um golo de Uchebo, mas o lance foi anulado por fora de jogo, e, aos 81 minutos, o F. C. Porto chegou à goleada, com Aboubakar a desviar, de cabeça, um cruzamento de Danilo. O quinto tento chegou nos descontos e após pontapé de canto, com Danilo, de calcanhar, a dar um toque de ainda mais classe à vitória azul e branca.

Conteúdo Patrocinado