Futebol

F. C. Porto perde com o Cruz Azul nas grandes penalidades

F. C. Porto perde com o Cruz Azul nas grandes penalidades

No primeiro jogo da Supercopa Tecate, inserida no estágio que está a realizar no México, o F. C. Porto perdeu com o Cruz Azul no desempate por penáltis, por 3-2, após o nulo no final dos 90 minutos. Uma equipa pressionante e objetiva, seja em 4x3x3 ou 4x4x2, foram os primeiros sinais do dragão de Sérgio Conceição.

No primeiro grande teste do F. C. Porto na pré-época, depois de empatar (2-2) com a Académica e vencer o Rio Ave (4-0), Sérgio Conceição apresentou o seguinte onze: Casillas; Ricardo, Felipe, Marcano e Alex Telles; Mikel, Oliver e Otávio; Corona, Brahimi e Soares. Uma equipa com duas caras novas em relação ao plantel da época passada. Ricardo Pereira ocupou o lado direito da defesa, em detrimento de Maxi Pereira, e Mikel a posição mais recuada do meio-campo, em virtude de Danilo estar a treinar de forma condicionada.

Apesar das limitações físicas típicas desta fase da pré-temporada, o F. C. Porto de Sérgio Conceição foi uma equipa que procurou ser pressionante em todo o campo e objetiva nos processos ofensivos. Brahimi e Otávio deram um toque de criatividade ao jogo portista e foram os primeiros a tentar desatar o nó. Porém, foi o Cruz Azul quem mais perto esteve de marcar. Aos 18 minutos, Eder Mendez falhou um golo praticamente feito e, depois, Casillas negou os festejos a Velazquez.

Na posse de bola, o F. C. Porto procurou ser uma equipa objetiva e com facilidade em rematar de meia distância. Alex Telles desferiu uma bomba travada pelo guarda-redes do Cruz Azul, que voltaria a mostrar serviço a negar o golo a Oliver. Pelo meio, novamente com Soares na jogada, Corona teve tudo para desatar o nó mas rematou às malhas laterais.

Ao intervalo, Sérgio Conceição lançou José Sá, Maxi Pereira, Martins Indi, André André, Hernâni, Galeno e Aboubakar. Felipe, Alex Telles, Oliver e Otávio continuaram em campo. O F. C. Porto privilegiou o 4x4x2, com Aboubakar e Galeno na frente de ataque, e, em lances de contra ataque, dispôs de duas soberanas oportunidades para marcar. Na primeira, Hernâni falhou o passe para Galeno. Depois, o avançado brasileiro deslumbrou-se quando seguia isolado e desperdiçou uma soberana ocasião para inaugurar o marcador.

Os 65 minutos, Sérgio Conceição lançou Rafa Soares, João Teixeira e Sérgio Oliveira para os lugares de Alex Telles, Oliver e Otávio. Apesar das muitas alterações, os dragões continuaram a ser superiores e a jogar sempre com os olhos na baliza adversária. Jorge Fernandes e os mexicanos Layún e Herrera jogaram os últimos 10 minutos do encontro, mas também não foram capazes de desfazer o nulo, que se manteve até ao apito final. Um resultado que sabe a pouco para a equipa de Sérgio Conceição, treinador que, certamente, terá tirado ilações muito positivas deste encontro.

No desempate por penáltis, para atribuir o vencedor do troféu, o F. C. Porto perdeu por 3-2. Sérgio Oliveira e Herrera marcaram pelos portistas, enquanto João Teixeira, Rafa Soares e Martins Indi desperdiçaram as grandes penalidades.

Recomendadas

Conteúdo Patrocinado