Desporto

Federação paga ao Boavista e enterra Apito Final

Federação paga ao Boavista e enterra Apito Final

A Federação Portuguesa de Futebol, o Boavista Futebol Clube e a Boavista Futebol Clube, SAD chegaram, esta segunda-feira, a acordo para a extinção dos processos judiciais que mantinham, resultantes da descida dos axadrezados à 2.ª Liga, na época de 2007/08.

O JN apurou que a verba que o Boavista recebe será aplicada em pagamentos ao Estado, pelo que o dinheiro sai diretamente da Federação Portuguesa de Futebol (FPF) para os credores dos boavisteiros. Fica, assim, definitivamente enterrado o processo Apito Final, no que ao Boavista diz respeito.

Em maio de 2008, a Comissão Disciplinar (CD) da Liga de Clubes, então liderada por Ricardo Costa, despromoveu o Boavista à 2.ª Liga por alegada coação sobre árbitros na edição de 2003/04 da Liga.

No verão quente do futebol português, em 4 de julho de 2008, o Conselho de Justiça (CJ) da FPF confirmou a decisão da CD da Liga, mas em fevereiro de 2012 o Tribunal Administrativo e Fiscal de Lisboa considerou nula aquela polémica reunião do CJ, que tinha sido dada por terminada e depois foi reatada por cinco membros, sem a presença do presidente do órgão, o jurista António Gonçalves Pereira.

O Boavista, que reclamava também uma indemnização por parte da FPF, pediu então a reintegração na Liga e, embora sem apreciar o mérito dos procedimentos disciplinares, em 21 de fevereiro de 2013 o CJ deu provimento aos recursos apresentados pelo clube do Bessa contra a decisão da CD da Liga de maio de 2008. O CJ da Federação considerou que o processo estava prescrito, decisão que permitiu aos axadrezados inscreverem-se no principal campeonato profissional da temporada seguinte, a época 2013/14.

O acordo, segundo apurou o JN, celebrado pelas direções federativa e boavisteiras, coloca, assim, um ponto final num processo com quase oito anos, relacionado com o Apito Final, versão desportiva do Apito Dourado.

Entretanto, a FPF e o Boavista já confirmaram, através de comunicados nos respetivos sites, a notícia avançada em primeira mão pelo JN.

Recomendadas

Conteúdo Patrocinado