Desporto

Pinto da Costa arrasa Julen Lopetegui

Pinto da Costa arrasa Julen Lopetegui

Depois de ter apresentado José Peseiro à hora de almoço, no Dragão, Pinto da Costa deu uma entrevista ao Porto Canal, à noite, na qual anunciou a recandidatura à presidência do F. C. Porto.

"Estou disponível para me candidatar a um novo mandato", disse, afirmando que esta decisão foi tomada após se ter submetido a uma bateria de exames médicos, esta semana, para ter a certeza que gozava de saúde para abraçar um mandato por quatro anos: "Tive todas as garantias".

O dirigente explicou a saída de Lopetegui e foi particularmente crítico com o técnico basco. "Não havia comunhão de ideias entre o treinador, os jogadores e o público. O jogo com o Rio Ave foi decisivo", adiantou, explicando que o treinador "trouxe muitos jogadores de fora que não conheciam o futebol português" e isso teve influência. "Lopetegui não quis compreender que as coisas não eram como tinha pensado e insistiu num processo que não foi assimilado pela equipa. Quando se muda é porque as coisas não estão bem".

Pinto da Costa explicou que "a equipa não rendia e sentia que os jogadores não estavam integrados naquele espírito" e também, ele próprio, "não gostava do jogo da equipa". No final do jogo com o Rio Ave, Lopetegui comunicou-lhe que, se o problema fosse ele, o assunto ficaria resolvido em dois segundos". No dia seguinte ficou estabelecido o divórcio, mas até hoje o F. C. Porto ainda não conseguiu contactar o advogado do treinador para se consumar a rescisão.

Em relação às opções do treinador, o dirigente também se mostrou crítico: "O Imbula veio por vontade dele, que nos disse que era um Ferrari. Eu perguntei se era um Ferrari para ficar na garagem. Aquele futebol não nos empolgava". Ao longo da entrevista destacou que José Peseiro foi abordado no dia a seguir ao empate com o Rio Ave e lembrou que "Sérgio Conceição não foi contactado por ninguém do F. C. Porto", ao contrário do que foi público. "Entendi que não precisávamos de um nome para agitar, isso só dá para 15 dias. Peseiro é treinador do F. C. Porto, no mínimo, para ano e meio, mesmo que não seja campeão. Mas espero que seja para muitos mais. E quero voltar a ver o estádio cheio a apoiar", desejou.

O presidente dos dragões confirmou a saída de Lichnosvsky para o Gijón e a possibilidade de Tello rumar à Fiorentina, disse que Suk foi contratado por indicação de Lopetegui - "fiquei com o Suk nos braços" - , mas o avançado sul-coreano teve, posteriormente, o aval de José Peseiro, e que o novo treinador está satisfeito com o atual plantel: "Ainda não me disse que necessita de nenhum jogador".

Ainda no que diz respeito à sucessão, Pinto da Costa destaca que "qualquer tem direito a candidatar-se a qualquer lugar", mas ele próprio, referindo-se a Vítor Baía, "não gostava de ver um candidato do F. C. Porto apoiado pelo Correio da Manhã". Neste mandato tem "o sonho de fazer um centro de formação".

Sobre Lopetegui "Não havia comunhão de ideias entre o treinador, os jogadores e o público. O jogo com o Rio Ave foi decisivo"

Futebol "Não gostava do jogo da equipa. O Imbula veio por vontade de Lopetegui, que nos disse que era um Ferrari. Eu perguntei se era um Ferrari para ficar na garagem"

Peseiro "Entendi que não precisávamos de um nome para agitar, porque isso só dá para 15 dias. Peseiro é treinador do F. C. Porto, no mínimo, para ano e meio, mesmo que não seja campeão".

Recomendadas

Outros conteúdos GM

Conteúdo Patrocinado