Desporto

Sporting vence Académica e segura liderança da I Liga

Sporting vence Académica e segura liderança da I Liga

O Sporting assegurou, frente à Académica, mais uma semana no topo da Liga. Numa partida emocionante, e com vários pontos altos, o árbitro Cosme Machado sobressaiu pelos piores motivos.

Validou mal um autogolo a Ewerton e o excesso de rigor levou à expulsão de Jorge Jesus, à beira do intervalo, e do treinador de guarda-redes leonino, Nélson Pereira, perto do final. Pelo meio, Aderlan, lateral da Briosa, também viu o vermelho.

Foram muitos os contratempos até os leões conseguirem segurar os três pontos com as duas garras, mas o sofrimento inicial, a bem dizer, surgiu apenas por culpa própria e, reconheça-se, mérito dos visitantes. Ainda o relógio estava a aquecer e já a Académica vencia. A lição bem executada dos estudantes, num pontapé de canto, resultou no golo de Rafa. Pouco depois, novo calafrio para os adeptos. Valeu São Patrício a tirar o pão da boca a Hugo Seco. Da Académica, pouco mais se viu.

Do outro lado do campo, o Sporting passou a primeira meia hora a tentar encontrar-se. Com Rúben Semedo e Marvin, pouco rotinados com as ideias de Jesus, no onze, a primeira fase de transição era feita aos solavancos. Superado o bloqueio inicial, o leão soltou-se. Cresceu e amedrontou o rival, que se encolheu. Era, por isso, uma questão de tempo até a presa ser capturada. Adrien, verdadeiro capitão, mostrou aos colegas o caminho. Driblou um adversário e, em arco, matou o nervosismo. Empate feito e, antes do intervalo, Ruiz garantiria a reviravolta, após excelente trabalho de Mané.

Logo após o intervalo, Jesus decidiu lançar Gelson. Tirou William, pois os estudantes não representavam perigo que justificasse tantas cautelas defensivas. Mas foi a Académica que empatou, contra a corrente, no tal autogolo de Ewerton, mal validado devido ao fora de jogo de João Real, que disputou o lance. Cosme Machado decidiu bem à primeira, mas voltou atrás e preferiu... errar.

Ora, se a Briosa aproveitou o erro do juiz bracarense, o mesmo não se pode dizer do treinador Filipe Gouveia. O antijogo e as perdas de tempo só motivaram o adversário. Irritado, o leão espetou as garras e nunca mais se viu perigo dos visitantes. Aos 66 minutos, Montero entrou logo a seguir entregava o 3-2 a Slimani. Porém, Trigueira evitou o pior. Seria, todavia, o próprio colombiano a decidir o jogo. Na cara do golo, não se deslumbrou e, com toda a tranquilidade, atirou para um triunfo merecido do Sporting. Contudo, demasiado sofrido. Ainda assim, os leões continuam sem perder em Alvalade na Liga.

Recomendadas

Conteúdo Patrocinado