Futebol

Treinador do Chelsea diz que Benfica será difícil

Treinador do Chelsea diz que Benfica será difícil

O italiano Roberto Di Matteo, que assumiu o comando técnico do Chelsea após o despedimento do treinador português André Villas-Boas, disse, esta sexta-feira, que defrontar o Benfica será difícil.

"Quando nos encontramos nas últimas oito equipas, qualquer sorteio é difícil. Vi o Benfica algumas vezes, estavam no grupo do Manchester United. Será um jogo difícil para nós", disse Di Matteo na reação ao sorteio dos quartos de final da Liga dos Campeões.

O treinador do Chelsea evitou fazer prognósticos, quando questionado em relação a um hipotético confronto com o FC Barcelona nas meias-finais.

"Está a excluir o AC Milan, assim tão facilmente? O líder da Série A. Jogo a jogo, é o que eu aprendi na minha carreira de jogador e de treinador", comentou Di Matteo.

O vencedor da eliminatória entre Benfica e Chelsea irá defrontar nas meias-finais o vencedor do confronto entre os italianos do AC Milan e o campeão europeu em título, os espanhóis do FC Barcelona.

O jogo da primeira mão entre Benfica e Chelsea está agendado para 27 de março, no Estádio da Luz, e o da segunda mão para 4 de abril, em Londres.

O diretor-executivo do Chelsea, Ron Gourlay, considerou benéfico para a equipa jogar primeiro no Estádio da Luz. "Não importa quem encontremos nesta fase. É um jogo difícil, mas é importante jogar primeiro fora e construir uma vantagem a partir de lá", disse o representante dos ingleses no sorteio.

Gourlay lembrou ainda que os "blues" contam com dois antigos jogadores do Benfica, o central David Luiz e o médio Ramires, e que estes têm um conhecimento melhor da equipa treinada por Jorge Jesus.

"Eles sabem um pouco mais e nós estamos informados também pelo facto de o Benfica ter saído do grupo do Manchester United. É uma equipa forte e nós vamos tentar seguir em frente", disse o dirigente do clube londrino.

Ron Gourlay falou ainda em "respeito" pelos "encarnados", mas que a equipa pode ter ambições se jogar como o fez frente ao Nápoles na quarta-feira, em que virou uma desvantagem de 3-1 para um triunfo por 4-1 em Stamford Bridge.

"Se mostrarmos o mesmo espírito que tivemos na quarta-feira podemos começar a olhar para a frente. Foi um bom sorteio e espero que possamos continuar", considerou o diretor, mostrando confiança no desempenho da equipa sob o comando interino de Roberto Di Matteo, o substituto do português André Villas-Boas.

Segundo o responsável, a equipa elevou os seus níveis na quarta-feira, mas é esse o seu patamar por direito.

"Colocámo-nos nesse patamar e esperamo-lo em todos os jogos até ao final da época e que possamos estar onde queremos estar", considerou Gourlay, falando ainda da importância do campeonato e da vontade de classificar-se nas zonas de acesso à "Champions".

Recomendadas

Conteúdo Patrocinado