Dinheiro Vivo

Petróleo afunda para mínimos de 12 anos

Petróleo afunda para mínimos de 12 anos

Tensão entre a Arábia Saudita e o Irão estão a penalizar os preços, que poderão recuar ainda mais quando forem conhecidas as reservas norte-americanas.

O petróleo de referência na Europa está a negociar nos 35,52 dólares o barril, em mínimos desde julho de 2004, com os investidores à espera de dados que indiquem que as reservas de crude nos EUA estão a aumentar.

O Brent, negociado no mercado de futuros de Londres retraiu-se esta quarta-feira de manhã em torno dos 2,5%, acentuando a perda de 2,2% de terça-feira.

Os preços desta matéria-prima têm estado bastante voláteis esta semana, depois de na segunda-feira terem estado em alta, chegando a negociar nos 38,5 dólares a refletir as tensões no Médio Oriente, entre a Arábia Saudita e o Irão, estão há duas sessões em queda.

A contribuir para a descida dos preços do petróleo estão as estimativas dos investidores de que as reservas de crude norte-americanas tenham aumentado na semana passada, numa altura em que o excedente de matéria-prima no mercado continua a penalizar os preços.

Segundo os analistas consultados pela agência financeira Bloomberg, a Administração de Informação de Energia dos EUA deverá anunciar, esta quarta-feira, que as reservas subiram em 500 mil barris na semana passada.

Os analistas estimam que o preço do crude deverá cair para os 30 dólares por barril nos próximos meses, enquanto as reservas deverão manter-se mais de 130 milhões de barris acima da média de cinco anos.

O clima de tensão entre o Irão (maioritariamente xiita) e o reino saudita (maioritariamente sunita) agravou-se com o corte de relações diplomáticas com o Irão pela Arábia Saudita e alguns dos seus aliados.

Recomendadas

Conteúdo Patrocinado