O Jogo ao Vivo

Economia

4 perguntas a Luís Menezes, diretor-geral da Unilabs

4 perguntas a Luís Menezes, diretor-geral da Unilabs

1. Porque vale a pena apostar no setor dos meios complementares de diagnóstico? 2. De que forma as reformas do SNS afetam a Unilabs? 3. Considera que os cortes vão afetar a qualidade da prestação de serviços de saúde? 4. Vale a pena acreditar na economia nortenha?

1.Na Europa, os testes laboratoriais representam apenas 3% do total de gastos em Saúde, mas influenciam mais de 70% das decisões médicas que se tomam. E está a ganhar uma maior relevância. Segundo os nossos estudos, em 2010 apenas 20% do orçamento de saúde era investido em prevenção e diagnóstico. Mas em 2020 esse valor vai ser de 28%, porque se apostarmos em prevenção e deteção precoce, os custos de tratamento vão baixar.

2.O setor das análises clínicas tinha preços adaptados para os laboratórios e tecnologia existentes. Com a evolução tecnológica e com a consolidação laboratorial, as empresas aumentaram a sua rentabilidade e o Estado baixou os preços em 30% nos 5 últimos anos. Eu costumo dizer ainda bem, porque quer dizer que o Estado tem gerido este setor com a atenção devida. As empresas têm capacidade para ajustar essa descida dos preços.

3.Podemos ganhar menos dinheiro, mas nunca podemos deixar de oferecer a mesma qualidade, a mesma fiabilidade e a mesma rapidez na entrega de resultados aos nossos pacientes e aos médicos. O Serviço Nacional de Saúde está a ser bem gerido.

4.Há vários exemplos em variados setores que mostram que a região continua viva e ativa e com a capacidade para ser o motor da economia portuguesa.

Recomendadas

Outros conteúdos GM

Conteúdo Patrocinado