greve geral

A greve geral na Imprensa internacional

A greve geral na Imprensa internacional

A greve geral desta quinta-feira, em Portugal, está a ser seguida pela Imprensa internacional, com agências noticiosas e jornais a destacarem o impacto da paralisação nos transportes.

"Greve perturba os serviços públicos em Portugal", noticiou a agência noticiosa norte-americana AP, mencionando o cancelamento de "dúzias de voos internacionais".

A agência France Presse também descreve um sector dos transportes "fortemente perturbado" por uma greve "contra a austeridade". A AFP cita o secretário-geral da CGTP, Manuel Carvalho da Silva, que fala numa "adesão muito forte".

A agência espanhola Efe menciona que esta é "a terceira [greve geral] organizada em Portugal nos últimos 23 anos", recordando que a última se realizou "há cerca de um ano, contra a política de austeridade do Executivo, então socialista".

A cobertura da agência Reuters sobre a greve inclui uma reportagem nos estaleiros de Viana do Castelo intitulada "cortes salariais e insegurança no emprego motivam greve em Portugal".

Sobre a greve, a BBC escreve que "controladores de tráfego aéreo e funcionários do metro de Lisboa foram os primeiros a aderir à greve", e refere que se espera que "a greve seja das maiores de sempre em Portugal, onde os grandes protestos laborais são raros". A BBC apela, ainda, aos seus leitores em Portugal que lhes enviem as suas opiniões e testemunhos.

Todos os sites dos principais jornais espanhóis mencionavam a greve portuguesa, mas só o "El País" divulga uma reportagem de um correspondente em Lisboa. O artigo do diário madrileno refere que "o ex-presidente socialista Mário Soares apelou à mobilização" contra a austeridade, e que se espera uma adesão "maciça".

O "El Mundo" publica um texto da agência Reuters onde se lê que os trabalhadores portugueses vão "protestar contra a austeridade". O "ABC" reproduz um texto da agência AP, titulado "a greve geral em Portugal afectará sobretudo os transportes". Nos principais jornais da Catalunha e da Galiza, a greve geral portuguesa não é noticiada.

Em França, o "Le Monde" noticia uma "greve geral em Portugal contra a austeridade", enquanto nem os sites do "Le Fígaro" nem do "Libération" tinham ainda publicado artigos sobre a greve esta manhã. A página online da televisão France 24 noticiava que uma "greve geral anti-austeridade" deverá "paralisar Portugal".

As páginas online de vários media alemães mencionam a greve portuguesa em notícias curtas; pelo contrário, a paragem em Portugal estava praticamente ausente dos sites da imprensa britânica. Na Irlanda, o "Irish Times" reproduziu um artigo da Reuters onde se fala numa "greve geral para protestar contra duras medidas de austeridade definidas pelo governo de centro-direita".

Quanto à imprensa financeira internacional, o "Financial Times" não tinha ainda referências à greve em Portugal, mas a greve era um dos temas de maior destaque na página online da edição europeia do "Wall Street Journal".

Num artigo intitulado "Portugal paralisado por greve", a correspondente em Lisboa notava que havia "escolas fechadas, serviços de emergência a operar em serviços mínimos", mas também mencionava que o trânsito "era maior que o habitual, com muitas pessoas a recorrer a alternativas [aos transportes públicos] para ir trabalhar".

Relacionadas

Recomendadas

Outros conteúdos GM

Conteúdo Patrocinado