Economia

Crise pode gerar mais 20 milhões de desempregados

Crise pode gerar mais 20 milhões de desempregados

A crise financeira poderá levar a um aumento de 20 milhões de desempregados no mundo inteiro até ao final de 2009, advertiu o director da Organização Internacional do Trabalho, Juan Somavia.

As estimativas da OIT indicam que "o número de desempregados pode passar de 190 milhões em 2007 para 210 milhões no final de 2009".

A população de trabalhadores pobres vivendo com menos de um dólar por dia pode aumentar em 40 milhões e a dos que vivem com dois dólares por dia em mais de 100 milhões, acrescenta a OIT.

Juan Somavia salientou que estas projecções "podem revelar-se por baixo se os efeitos do actual abrandamento do crescimento económico e da ameaça de recessão não forem rapidamente combatidos".

Milhares de postos de trabalho já foram suprimidos em Wall Street e noutros centros financeiros com a falência de bancos ou fusões na sequência da crise financeira.

Mas a OIT adverte que os cortes vão também atingir trabalhadores dos mais variados sectores, como a construção civil, a indústria automóvel, o turismo, os serviços e o imobiliário.

"Não é um simples crise de Wall Street, é uma crise em todas as 'streets' (ruas). Precisamos de um plano de salvamento da economia para as famílias de trabalhadores e a economia real, com regras e políticas que asseguram empregos decentes", disse.

As taxas de desemprego têm vindo a subir em todo o mundo.

O responsável da OIT pediu aos governos "acções rápidas e coordenadas para evitar uma crise social" e disse acolher favoravelmente "uma melhor regulação financeira e uma melhor supervisão".

Recomendadas

Conteúdo Patrocinado