ambiente

EUA rejeitam planos da Volkswagen para viaturas com "kit" fraudulento

EUA rejeitam planos da Volkswagen para viaturas com "kit" fraudulento

As autoridades norte-americanas rejeitaram o plano de chamada das viaturas a diesel equipadas com o "software" fraudulento de emissões poluentes, tendo a Agência de Proteção Ambiental concordado que o plano da Volkswagen não é aceitável.

A California Air Resources Board (CARB) afirmou que as propostas do fabricante automóvel alemão "são incompletas, substancialmente deficientes e ficam longe de cumprir os requisitos legais" para retificar o problema das emissões.

Também a Agência de Proteção Ambiental (EPA, na sigla em inglês), que aguarda as propostas formais da Volkswagen, tem a mesma opinião.

"A EPA concorda com a CARB. A Volkswagen não submeteu um plano que possa ser aprovado para que os veículos passem a cumprir [os requisitos ambientais] e para reduzir a poluição. A EPA transmitiu isso previamente à empresa", indicou a agência.

Estas declarações surgem na véspera de o presidente executivo da Volkswagen, Matthias Mueller, se reunir com a EPA para discutir os planos da construtora alemã em relação aos 600 mil carros só nos Estados Unidos da América que têm o equipamento ilegal, que manipula as emissões poluentes em excesso dos veículos.

O problema, que atinge cerca de 11 milhões de veículos a diesel em todo o mundo, penalizou amplamente a reputação da marca alemã e desencadeou processos de investigação em vários países.

Conteúdo Patrocinado