Páscoa

Norte esgota na Páscoa

O setor hoteleiro volta a ter uma Páscoa em grande com lotações quase esgotadas, sobretudo para o fim de semana, com taxas de ocupação entre os 80% e os 100%.

Os espanhóis continuam a ser os turistas estrangeiros no topo da procura, seguindo-se os franceses e os brasileiros. Este ano, os italianos e suíços estão mais ligados às festividades de Braga e do Porto. Norte, Centro e Sul esfregam as mãos de contentes. Cheios como um ovo.

Porto

Dois hotéis estavam em alta no final da semana passada. O Sheraton, na Boavista, e o Carris, na Ribeira, eram os que mais próximos estavam dos 100% de ocupação. No entanto, dados da Associação de Turismo do Porto e Norte de Portugal apontavam para uma subida acentuada em quase todo o parque hoteleiro. Nota a assinalar: os suíços são os que se apresentam nesta quadra como grupo forte, juntando-se à tradicional presença dos turistas espanhóis e brasileiros.

Guimarães

Os hotéis de Guimarães estão a registar muita procura para o fim de semana de Páscoa. Os principais portais de reservas online apontam para uma média já ocupada ligeiramente superior aos 60% e indicam a possibilidade de muitos espaços esgotarem no próximo par de dias.

Alguns já esgotaram mesmo, como é o caso do Hotel do Toural. Próximo disso estão os hotéis da Oliveira, Santa Luzia, Open Village e várias casas de campo, estas com oferta mais reduzida. O Centro Histórico parece ser o destino principal, uma vez que quanto mais perto se está, mais difícil é arranjar estadia. Quanto a preços, a maioria pratica aumentos para os três dias das festas pascais. Delfim Machado

Braga

A cidade espera mais uma enchente para as principais procissões da Semana Santa (ler texto ao lado), a avaliar pela taxa ocupação dos hotéis, que está quase esgotada para quinta-feira e sexta-feira.

Segundo dados do Turismo do Porto e Norte de Portugal, os portugueses continuam a ser os principais clientes, mas há registo de uma subida de 17% na procura por parte de espanhóis, em relação a 2015: representam 60% do número de estrangeiros que chegam a Braga. Seguem-se franceses, italianos e brasileiros.

O sucesso da Semana Santa reflete-se, também, na duração da estadia. Este ano regista-se um aumento da procura nos dias anteriores às procissões e no próprio Domingo de Páscoa. Há hotéis a chegar aos 60% nesses dias, como é o caso do Meliá. O Hotel Bracara Augusta, em plena Avenida Central, tem lotação esgotada para quinta e sexta-feira. Sandra Freitas

Alto Minho

A taxa de ocupação nos hotéis do Alto Minho é promissora, principalmente para o fim de semana festivo. No caso do Hotel Monte Prado, em Melgaço, já não se aceitam reservas. Em Viana do Castelo, no Hotel Flor de Sal a taxa de reservas indicia que irá esgotar, tal como no ano passado. No Hotel Boega, em Cerveira, a taxa de reservas é superior à de 2015, com reservas para estadias mais prolongadas.

Com 100 quartos, também o Hotel Portas do Sol, em Caminha, avança com um cenário de ocupação plena, tal como em 2015. A uma semana da Páscoa, as reservas já estão a 70% e com mais dias de estadia. Em Ponte de Lima, o Inlima hotel & spa, tem 30 quartos e está com uma taxa de ocupação "superior a 90%". Ana Peixoto Fernandes

Aveiro

A cidade de Aveiro vive, durante o fim de semana da Páscoa, um ambiente de época alta. À semelhança do que vem acontecendo nos últimos anos, a "Veneza de Portugal" é inundada por turistas, na sua maioria oriundos da vizinha Espanha.

A poucos dias da data, os hotéis estão quase cheios, com a taxa de ocupação a rondar os 90%, sendo que grande parte dos hóspedes começa a chegar já a partir de quarta--feira. "Todas as unidades hoteleiras da cidade trabalham muito bem nesta época, felizmente", conta, ao JN, Cristina Durães, diretora do Hotel Moliceiro, no qual mais de 90% dos quartos já estão reservados. Com um preço médio de 110 euros por quarto duplo, e direito a pequeno almoço, o Hotel As Américas também está "quase a 100%". E o Meliá Ria, de sexta-feira a domingo, já tem 85% dos quartos reservados, a 119 euros por noite. Salomé Filipe

Lisboa

Os hotéis de Lisboa deverão registar uma ocupação superior a 80%, de acordo com as associações do setor ouvidas pelo JN. Sem números concretos ainda, tendo em conta o peso das reservas de última hora, os hoteleiros esperam um crescimento ainda que não muito acentuado, relativamente à taxa de ocupação registada em 2015, que foi de 82%.

Segundo André Barata Moura, da Associação de Turismo de Lisboa, a expectativa em termos de afluência de estrangeiros à capital para esta Páscoa é "moderadamente otimista". Os espanhóis dominam nesta altura do ano, como habitualmente, mas o responsável destaca a enorme subida dos turistas franceses, que se vem acentuando nos últimos anos. E a Páscoa não será exceção. Em contraponto, o mercado brasileiro está nesta altura em baixa, muito provavelmente devido à instabilidade no país.

A presidente executiva da Associação de Hoteleiros de Portugal, Cristina Siza Vieira, confirma o "otimismo moderado" do setor relativamente à Páscoa, e revela ao JN que, com base num inquérito feito aos responsáveis pelos hotéis de Lisboa, 50% dos empresários acreditam que a receita total desta quadra será superior à do ano passado. Paulo Lourenço

Algarve

No Algarve, também os hoteleiros estão otimistas. Nesta altura, adiantou Elidérico Viegas, presidente da Associação dos Hotéis e Empreendimentos Turísticos do Algarve, as reservas para a Páscoa já permitem antecipar a superação das expectativas. "Só os portugueses já estão a crescer 5% a 6%, e também temos mais espanhóis".

Conteúdo Patrocinado