Economia

Obama diz que austeridade não é estratégia de crescimento para a Grécia

Obama diz que austeridade não é estratégia de crescimento para a Grécia

O presidente dos EUA, Barack Obama, defendeu, esta quinta-feira, uma política de crescimento económico na Grécia, afirmando ao primeiro-ministro grego, Antonis Samaras, que a austeridade não podia ser a única estratégia para sair da crise.

Obama e Samaras, que se reuniram no Gabinete Oval da Casa Branca, reconheceram a importância das reformas de fundo na Grécia, submetida a um plano de saneamento drástico para procurar reduzir a dívida pública, que atingiu este ano o equivalente a 176% do produto interno bruto (PIB).

"Manifesto a minha confiança no primeiro-ministro Samaras para continuar as reformas estruturais", disse Obama aos jornalistas.

"Estamos também de acordo quanto ao facto de não podermos considerar que a austeridade é uma estratégia, face às dificuldades por que a Grécia passa", acrescentou, depois de o PIB grego ter caído 25% em cinco anos sob o efeito da crise.

"Também é importante concentrarmo-nos no crescimento e no emprego, porque a história mostrou que os países em crescimento e com um alto nível de emprego (...) conseguem reduzir mais depressa a dívida do que os países onde as pessoas já perderam as esperanças", acrescentou Obama.

"Queremos fazer com que os gregos vejam uma luz ao fundo do túnel", realçou o Presidente norte-americano, acrescentando que exprimiu ao seu convidado o apoio dos EUA neste "processo difícil".

Samaras, jurando "fazer o necessário" para reformar as estruturas do seu país, evocou também a importância de "insistir sobre o crescimento e a criação de emprego, particularmente para os jovens", cuja taxa de desemprego, lembrou, ultrapassa os 60%.

Recomendadas

Conteúdo Patrocinado