Grécia

Presidente do Eurogrupo diz que pode haver acordo com a Grécia "no fim desta semana"

Presidente do Eurogrupo diz que pode haver acordo com a Grécia "no fim desta semana"

A reunião do Eurogrupo terminou, esta segunda-feira, sem acordo e os ministros das Finanças da zona euro voltam a reunir-se nos próximos dias para debater novas propostas gregas. O presidente do Eurogrupo acredita na possibilidade de se chegar a um acordo com a Grécia "no fim desta semana".

O presidente do Eurogrupo, Jeroen Dijsselbloem, falou, esta segunda-feira, na possibilidade de se chegar a um acordo com a Grécia "no fim desta semana" depois de, na reunião de hoje, os ministros das Finanças terem feito uma primeira avaliação das novas propostas gregas.

Segundo disse em conferência de imprensa o também ministro das Finanças holandês, as novas propostas enviadas pelo Governo helénico "são bem-vindas" e representam "passos positivos" em direção a um entendimento, mas uma vez que algumas só chegaram esta manhã houve pouco tempo para fazer uma avaliação mais aprofundada das medidas.

"Usaremos estas novas propostas gregas como base para um acordo. Se tudo correr bem, podemos chegar a um acordo no final desta semana", afirmou Dijsselbloem, após cerca de duas horas de reunião dos ministros das Finanças da zona euro.

Antes, o comissário europeu para o Euro, Valdis Dombrovskis, dava conta da ausência de acordo ao escrever no Twitter que "as propostas da Grécia são bem-vindas, mas é necessário fazer mais trabalho com as instituições".

Um novo Eurogrupo acontecerá ainda esta semana, sendo o objetivo dar o aval às medidas a adotar pela Grécia com vista a libertar dinheiro para Atenas e, assim, evitar o incumprimento do Estado grego.

A reunião do Eurogrupo antecedeu uma cimeira de emergência da zona euro, com início marcado para as 19 horas (18 horas de Lisboa).

Há cinco meses que se arrasta o processo de negociações entre Atenas e os credores quanto às reformas a adotar pelo país, sem o qual os parceiros europeus e os credores não libertam a última parcela do programa de resgate, de 7,2 mil milhões de euros.

Sem esse dinheiro, ou pelo menos parte dele, a Grécia - que está a poucos dias de ter de pagar os 1,6 mil milhões de euros ao Fundo Monetário Internacional, a 30 de junho, - fica muito próxima do incumprimento ('default') e aumenta o risco de uma saída da zona euro (o chamado 'Grexit').

Recomendadas

Outros conteúdos GM

Conteúdo Patrocinado