O Jogo ao Vivo

Economia

Saiba o que vai aumentar em 2016

Saiba o que vai aumentar em 2016

Os portugueses podem contar, a partir de janeiro de 2016, com aumentos nos preços de eletricidade, pão, rendas ou telecomunicações, enquanto os preços do gás, do leite e dos transportes públicos deverão manter-se.

Os preços do gás e do leite deverão manter-se, uma vez que, no primeiro caso, a atualização tarifária só acontece a 1 de julho para os consumidores que se mantêm no mercado regulado e que, no segundo caso, a associação do setor diz que até ao final do primeiro semestre o preço do leite não deverá sofrer alterações "a não ser que haja situações anormais".

Também as tarifas dos transportes públicos de Lisboa e do Porto ficam inalteradas no próximo ano.

Já o pão deverá sofrer apenas "pequenos ajustamentos" de 2% a 3% em 2016, que terão pouco impacto no preço, ou seja, cerca de meio cêntimo por carcaça, segundo a associação do setor.

Eis alguns exemplos de como ficam os preços em 2016:

Transportes Públicos

Os preços dos transportes públicos urbanos de Lisboa e do Porto - Carris e STCP, dos metros de Lisboa e Porto e da Transtejo/Soflusa - vão manter-se inalterados no próximo ano, à semelhança do que aconteceu em 2015.

Portagens

O preço das portagens sobe cinco cêntimos em 2016, mas o aumento é limitado a 10% dos troços das autoestradas portajadas, mantendo-se inalteradas nas restantes, segundo o Ministério do Planeamento e das Infraestruturas.

Já nas pontes 25 de Abril e Vasco da Gama, a atualização varia entre os cinco cêntimos (classe 1, em ambas as pontes) e os 15 cêntimos (classe 4, na ponte Vasco da Gama).

Já a Infraestruturas de Portugal (IP) vai aumentar em cinco cêntimos 34 das 550 tarifas de portagem das autoestradas que lhe estão concessionadas no próximo ano.

Água da EPAL

O preço da água vai subir em média 33 cêntimos por mês para a maioria dos clientes domésticos da EPAL a partir de 1 de janeiro, mas mantém-se a tarifa social e a familiar.

Eletricidade

As tarifas de eletricidade no mercado regulado vão subir 2,5% para os consumidores domésticos a partir de 1 de janeiro, o que representa um aumento de 1,18 euros numa fatura média mensal de 47,6 euros.

Já a tarifa social para os consumidores considerados economicamente vulneráveis terá um acréscimo de 0,9%, o que corresponde a um aumento de 19 cêntimos numa fatura média mensal de eletricidade de 21,5 euros.

As tarifas transitórias para os cerca de 1,9 milhões de consumidores que ainda não migraram para o mercado liberalizado aplicam-se a partir de 1 de janeiro de 2016 e vigoram durante todo o ano.

Gás

As tarifas transitórias do gás natural ficam inalteradas a 1 de janeiro, uma vez que atualização tarifária no gás natural só acontece a 1 de julho para os consumidores que se mantêm no mercado regulado.

Leite

Até ao final do primeiro semestre de 2016, o preço do leite não deverá sofrer alterações "a não ser que haja situações anormais que afetem o setor", como um clima adverso ou subidas da matéria-prima, disse o presidente da Associação Nacional dos Industriais de Laticínios (ANIL), Paulo Costa Leite.

Pão

O preço do pão deverá ter "pequenos ajustamentos de 2% a 3% em 2016", o que significa cerca de meio cêntimo por carcaça, disse o presidente da Associação do Comércio e da Indústria de Panificação, Pastelaria e Similares (ACIP), José Francisco Silva.

Telecomunicações

Os preços das telecomunicações da Meo e Vodafone vão subir em média 2,5%, a partir de 1 e 13 de janeiro, respetivamente, enquanto a NOS sobe os tarifários no primeiro dia de 2016, mas não revela o aumento médio.

Já a Vodafone Portugal informa que a partir de 13 de janeiro, e conforme tem acontecido em anos anteriores, "existirá uma atualização de preços, que varia de acordo com o serviço em causa, mas que em média se situará entre 2% e 3%".

A Vodafone Portugal adianta ainda que "os clientes que tenham aderido aos serviços TV Net Voz, no fixo, e RED no móvel, que ainda estejam no período de 24 meses de preço garantido, não terão qualquer alteração nas suas mensalidades".

Já a NOS, operadora que resultou da fusão entre a Optimus e a Zon, escusou-se a avançar o aumento médio, mas adianta que "a partir de 1 de janeiro de 2016", atualizará os seus preços de acordo com o divulgado no 'site' nos.pt/tarifas2016".

Rendas

O valor das rendas deverá aumentar 0,16% em 2016, depois de este ano ter ficado congelado, de acordo com os números da inflação dos últimos 12 meses até agosto, divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE).

Conteúdo Patrocinado