O Jogo ao Vivo

Economia

Voar do Porto para Malpensa vai custar 26,99 euros

Voar do Porto para Malpensa vai custar 26,99 euros

A Ryanair vai avançar, em setembro, com quatro voos semanais a ligar o Aeroporto Francisco Sá Carneiro, no Porto, a Malpensa, em Milão (Itália).

Os bilhetes estarão à venda a partir de amanhã, sexta-feira, e vão custar 26,99 euros, cerca de 10% do preço praticado pela TAP, que vai suspender essa ligação na Páscoa.

O anúncio já tinha sido feito no passado dia 16 de fevereiro e foi confirmado esta quinta-feira, numa conferência de Imprensa na Câmara do Porto, em que participaram Niall O'Connor, diretor de rotas da Ryanair, e o autarca portuense Rui Moreira.

A nova rota entre Porto e o Aeroporto de Malpensa, em Milão (Itália) arranca em setembro e está incluída no calendário de inverno daquela companhia aérea irlandesa, que inclui novas ligações para Varsóvia, Dublin, Liverpool e Valência, bem como voos adicionais para Madrid, Barcelona e Bruxelas.

Os bilhetes estarão à venda a partir de amanhã, sexta-feira, e custam 26,99 euros, cerca de 10% do valor praticado pela TAP (cujo preço médio do bilhete Porto-Malpensa é de 275 euros), que já anunciou a decisão de suspender aquela ligação, a partir de 27 de março. Uma decisão que abrange também os voos entre o Porto e Bruxelas, Barcelona e Roma.

Segundo anunciou, esta quinta-feira, o diretor de rotas da Ryanair, aquela companhia low-cost vai criar quatro voos semanais entre o Aeroporto Francisco Sá Carneiro e Malpensa, além da ligação que já realiza entre a cidade do Porto e Bergamo, também na região de Milão. Uma medida que vai permitir ligar Porto a Milão 11 vezes por semana e que surge na sequência de um desafio lançado pelo presidente da Câmara do Porto.

"Sempre acreditamos que havia mercado. A Ryanair já cobria Milão. Mas Malpensa era absolutamente essencial", referiu Rui Moreira, lembrando a importância daquela região para o setor têxtil nortenho e para os emigrantes na Suíça. "Lançamos o desafio à Ryanair e pedimos para fazerem as contas e olharem para esta oportunidade", acrescentou o autarca. A companhia aérea garante que fez as contas e, ao contrário do que alega a TAP na sua decisão de abandonar aquela rota no Porto, considerou que seria uma oportunidade lucrativa.

"Somos companhias diferentes", alegou Niall O'Connor, considerando que, para a Ryanair, o Aeroporto Francisco Sá Carneiro é "um bom mercado" e a rota para Malpensa "faz todo o sentido", porque é uma ligação "muito importante para a cidade e uma boa oportunidade para a Ryanair". "Estamos sempre interessados em fazer novas rotas", concluiu.

Além da nova rota entre Porto e Milão, a Ryanair tenciona criar ligações adicionais para Madrid (duas vezes por dia), Barcelona (duas vezes por dia), Bruxelas Z (nove vezes por semana) e Bruxelas C (seis vezes semana). Com essa estratégia, a empresa acredita que vai conseguir transportar 3,4 milhões de passageiros por ano e apoiar a criação de 2600 empregos no Aeroporto Francisco Sá Carneiro. Para Rui Moreira comprova que a Ryanair é, neste momento, "a companhia aérea do Porto".

Conteúdo Patrocinado