Emissões

Volkswagen assume conspiração e obstrução à Justiça

Volkswagen assume conspiração e obstrução à Justiça

A Volkswagen aceitou pagar mais 4,3 mil milhões de dólares (quatro mil milhões de euros) para encerrar os processos judiciais associados aos motores diesel manipulados nos EUA.

Esta mistura de penalidades civis e criminais vai permitir ao grupo alemão escapar a um processo e soma-se aos 17,5 mil milhões de dólares que este gigante do setor automóvel já se comprometeu a pagar para cobrir os custos do escândalo, que foi divulgado em setembro de 2015, nos EUA.

O fabricante, que tem 12 marcas, reconheceu ter participado numa "conspiração" para enganar os clientes e as autoridades norte-americanas, mas também ter feito "obstrução à justiça", ao destruir documentos para dissimular as suas ações, indicou o Departamento de Justiça em comunicado.

No final de 2015, a Volkswagen (VW) reconheceu ter equipado 11 milhões das suas viaturas no mundo, das quais 600 mil nos EUA, com um programa informático que reduzia o nível real das emissões de gases nocivos, quando estas eram controladas.

Durante os próximos três anos, o grupo vai estar sob controlo apertado, terá de se submeter ao controlo de um auditor independente e aceitou "cooperar plenamente" com as autoridades para processar os empregados da VW implicados na fraude, garantiu o Departamento de Justiça.

As autoridades norte-americanas também anunciaram a acusação de mais cinco empregados e quadros da empresa, todos residentes na Alemanha, que se acrescenta à feita na segunda-feira e à de um engenheiro do grupo, em setembro.

Na segunda-feira, o Departamento de Justiça divulgou que a direção do grupo alemão tinha sido informada do escândalo em meados de 2015, mas decidiu permanecer em silêncio.

Recomendadas

Conteúdo Patrocinado

Outros conteúdos GM