Roupa

Zara retira minissaia da loja online devido a polémica

Zara retira minissaia da loja online devido a polémica

A rede espanhola de lojas de roupa Zara retirou do site de vendas uma saia com um sapo estampado, depois de as redes sociais terem notado semelhanças entre o desenho e um símbolo adotado pela extrema-direita na Internet.

A minissaia de ganga, com sapos a usarem óculos de sol estampados, integrava a coleção "festivaleira" de primavera/verão deste ano. Mas os utilizadores do Twitter não festejaram quando repararam que um dos sapos fazia lembrar o Pepe, um boneco da Internet criado em 2005 e conotado com o movimento de extrema-direita nas redes sociais.

A escritora Meagan Fredette lançou o alerta na rede social: "A Zara está mesmo a tentar vender a saia do sapo Pepe, aparentemente sem se aperceber das suas implicações atuais".

A imagem e o comentário, publicados na segunda-feira, foram partilhados centenas de vezes, criando uma onda de revolta internauta que já levou a marca de roupa a retirar a saia da venda online. De facto, o link original para o artigo remete agora para a página principal da Zara.

Porta-voz da marca refuta que haja uma compactuação com qualquer movimento político criado na Internet e esclarece, segundo o "The Guardian" a origem do artigo.

"O criador da saia é Mario de Santiago, conhecido como Yimeisgreat. Mario explora interações sociais no seu trabalho e, citando o próprio, a ideia surgiu a partir de um mural que pintou com amigos há quatro anos", esclareceu, garantindo a inexistência de "qualquer ligação entre o produto e o tema sugerido".

"Pepe, o sapo" foi criado por Matt Furie, criador de desenhos animados, com o objetivo de remeter para a "tranquilidade" e o "bem-estar". No entanto, ao longo da campanha eleitoral dos Estados Unidos, foi usado várias vezes para personificar Donald Trump e acabou por se transformou num símbolo de "ódio", denunciado pela Liga Anti-Difamação, organização judaica.

Seguem, abaixo, alguns exemplos da utilização do polémico sapo em contexto político:

Recomendadas

Conteúdo Patrocinado