Sintra

PJ deteve suspeitos de matar condutor na A16 após assalto

PJ deteve suspeitos de matar condutor na A16 após assalto

A Polícia Judiciária deteve três homens por suspeita de terem assassinado a tiro um condutor de um veículo, na A16, após o assalto a uma carrinha de valores em Lourel, em Sintra.

Em comunicado, emitido esta terça-feira, a Polícia Judiciária acrescentou que já tinham sido capturados outros três suspeitos, um deles através de um mandado de detenção europeu e os restantes "detidos à ordem de outros inquéritos".

"Com a detenção de mais estes três suspeitos, fica integralmente identificada a composição da estrutura criminosa agora desmantelada, sendo possível imputar-lhe outros crimes de roubo a carrinhas de transporte de valores", referiu a força policial, sublinhando que os indivíduos têm antecedentes criminais e alguns deles até já cumpriram elevadas penas de prisão por crimes violentos.

A vítima, um empresário de 39 anos, foi morto com um tiro de caçadeira, a 28 de fevereiro de 2016, alegadamente por elementos de um gangue que antes tinha assaltado um segurança da "Loomis", em Lourel, Sintra.

Os quatro assaltantes abandonaram no parque um dos veículos, um Audi A4, e fugiram a alta velocidade no outro, um A3, que veio a despistar-se numa curva acentuada, à entrada da vizinha A16, na direção de Lisboa e Cascais.

Apeados e armados, saltaram o separador central e tentaram fazer parar um Renault Megane, com um casal no interior. O condutor, João Silva, 49 anos, residente em Magoito, Sintra, não parou, os bandidos abriram fogo e atingiram-no. Mesmo ferida, a vítima ainda conseguiu chegar à portagem de acesso à CREL, a cerca de um quilómetro e meio. Ali, pediu ajuda e chegou a ser socorrido pelos Bombeiros de Algueirão -Mem Martins, mas sem sucesso, acabando por dar entrada já cadáver na Urgência do Hospital de S. Francisco Xavier, em Lisboa. A mulher escapou ilesa aos disparos, mas entrou em choque.

Entretanto, ainda na A16, o gangue, sob ameaça das armas, conseguiu fazer parar um Citroën, obrigando a condutora e os ocupantes a saírem e tomando conta da viatura. Continuaram a fuga, a alta velocidade, em direção desconhecida, embora, inicialmente, tudo apontasse para que tivessem abandonado a A16 seguindo na direção de Terrugem.

Recomendadas

Outros conteúdos GM

Conteúdo Patrocinado