Aveiro

Árvores seculares para atrair ecoturismo

Árvores seculares para atrair ecoturismo

O sobreiro mais produtivo do Mundo, datado de 1783 e capaz de gerar 100 mil rolhas a partir de Águas de Moura, Palmela, ou a oliveira com 2850 anos de Santa Iria de Azóia são apenas dois dos exemplos de árvores monumentais que Portugal possui mas não aproveita para chamar turistas.

Quem o diz é a investigadora da Universidade de Aveiro Raquel Lopes, que lançou um inquérito aos 100 municípios que compõem a Região de Turismo do Centro e se propõe ajudar a criar um roteiro de árvores classificadas na categoria de monumentos naturais, que permita chamar novos públicos e incluí-las na estratégia de turismo para Portugal.

"As entidades falam em valores naturais, mas esquecem a enorme riqueza de árvores monumentais do país", diz a investigadora, que acredita que ainda há muitas com interesse relevante por "classificar". E, explica, como "só amamos, respeitamos e protegemos aquilo que conhecemos", este deve ser o primeiro passo.

Circuitos de investigação

Casos como o do Município de Monchique, que fez um circuito de visitação das espécies monumentais na serra, ou o de Póvoa do Lanhoso, que construiu um centro de interpretação ambiental em torno do carvalho que há 700 anos fixou raízes na localidade de Calvos, são raros e devem ser replicados, para "valorizar devidamente o património", considera Raquel Lopes.

Apenas 148 dos 278 municípios do continente têm árvores classificadas, de acordo com os dados fornecidos pelos municípios ao Instituto de Conservação da Natureza e Florestas.

"É impensável, atendendo à riqueza do nosso país. Ainda há muito trabalho a fazer e um enorme potencial a descobrir", diz, explicando que a legislação permite que as classificações possam ser feitas consoante o porte, desenho, dimensão, idade, relevante interesse público em termos de valor natural, histórico, cultural e paisagístico. Podem ser classificadas tanto árvores isoladas como conjuntos arbóreos, povoamentos florestais, bosques, arboretos, alamedas e jardins.

Recomendadas

Conteúdo Patrocinado