São João da Madeira

Gestão do hospital de S. João da Madeira marca tomada de posse do executivo municipal

Gestão do hospital de S. João da Madeira marca tomada de posse do executivo municipal

O novo executivo municipal de São João da Madeira tomou posse, este sábado, numa cerimónia em que o aplauso mais efusivo foi motivado pela posição do presidente, eleito pela coligação PSD/CDS, quanto à gestão do hospital local.

Referindo-se ao cancelamento - já aprovado no parlamento, com os votos contra do PSD e do CDS - do acordo que previa a transferência do equipamento para a Misericórdia, Ricardo Oliveira Figueiredo afirmou que "São João da Madeira precisa ter domínio sobre a gestão do seu hospital".

"Temos um acordo que permite uma grande ampliação do hospital em termos de valências e meios complementares de diagnóstico e é por esse acordo que vamos lutar", referiu o presidente reeleito.

O autarca alertou que, se a unidade "estiver fora do município, seja onde for, nunca poderá depender inteiramente de São João da Madeira".

"Confiamos na nossa própria capacidade de gerir os nossos equipamentos. Defendemos o cumprimento do acordo porque confiamos nos sanjoanenses e nas nossas instituições", declarou.

Quando à nova fase de gestão na Câmara, onde o PSD está agora em maioria após a vitória eleitoral em coligação com o CDS, Ricardo Oliveira Figueiredo afirmou que é tempo de "fazer em menos de dois anos o que seria para um mandato inteiro".

O autarca defendeu que a votação obtida pelo PSD/CDS nas intercalares de 24 de janeiro expressou uma "confiança reforçada e renovada" no seu projeto e na sua equipa, pelo que a tomada de posse "marca o início de um novo ciclo de progresso" na cidade.

Em referência ao "bloqueio" que considera ter sido feito pela oposição e que motivou a sua anterior renúncia ao cargo, Ricardo Oliveira Figueiredo declarou que a prioridade é agora "desbloquear a cidade, apoiando e defendendo quem mais precisa e investindo na educação, na cultura, no desporto e na revitalização do centro cívico".

O presidente da Câmara propõe-se também a concentrar esforços "na qualidade de vida, no urbanismo e na economia" e a dedicar "uma especial atenção à criação de emprego".

Entre as medidas concretas já colocadas "em marcha" esta semana incluem-se o "aumento para 100% da comparticipação na aquisição de medicamentos" por idosos carenciados e "um abatimento de 10% no cálculo das rendas da habitação social" - área para a qual também está anunciada a recuperação de quatro prédios.

Ao nível cultural, por sua vez, está já a ser definido o programa das comemorações do 90.º aniversário do concelho, a ser preparada a inauguração do Núcleo Museológico do Calçado e a ser projetado o parque temático de ilustração que irá nascer no Palacete do Rei da Farinha.

"Temos também as piscinas para lançar", concluiu Ricardo Oliveira Figueiredo, em referência ao equipamento desenhado pelo arquiteto Eduardo Souto Moura e anteriormente chumbado pela oposição, apesar de ter já garantido financiamento comunitário.

Recomendadas

Outros conteúdos GM

Conteúdo Patrocinado