País

À procura de cursos com saída profissional

À procura de cursos com saída profissional

Quando a crise de emprego alastra, os estudantes procuram saídas profissionais que lhes valham um trabalho. Até amanhã, no pavilhão multiusos de Guimarães, decorre a Feira de Ofertas Educativas e Formativas.

O exército, as massagens e o teatro. Eis três áreas de actividade que parecem estar em alta em tempos de crise. Na Feira de Ofertas Educativas e Formativas (ORIENTA-TE), que decorre até amanhã no Multiusos, em Guimarães, são dos mais visitados.

O teatro, segundo Alexandra Machado, psicóloga no Externato Delfim Ferreira, de Riba d´Ave (Famalicão) "é uma boa área alternativa, com boas saídas". O curso de Artes do Espectáculo (Interpretação) dura três anos, confere equivalência ao 12º ano. "É um curso único na região e oferece boas perspectivas. Guimarães vai ser Capital Europeia da Cultura e as televisões cada vez mais oferecem saídas para actores", argumenta aquela responsável. Dos 109 stands (ocupados por 71 instituições) que ocupam a nave principal do pavilhão, o do Exército (Centro de Recrutamento de Braga) é o mais procurado. Muito por causa do rappel e da escalada, mas também por ser cada vez mais encarado como um caminho alternativo à falta de emprego.

O mesmo acontece com áreas ligadas à moda e ao bem-estar. "Há muita gente interessada nesta área", disse Iola Caramelo, da Escola de Massagem e Motricidade Aplicada. "É uma área com muito interesse e os nossos cursos são rápidos. Os alunos ficam preparados para o mercado de trabalho ou podem lançar os seus próprios negócios", referiu.

O stand da Forave, escola profissional de Lousado, Famalicão, era, ontem, dos mais ocupados. Em parte devido às alunas do curso de Apoio Familiar e à Comunidade. "É uma área com muita empregabilidade. Temos registado uma maior procura nos últimos tempos", informou José Ramalhoto, professor da Forave.

Recomendadas

Conteúdo Patrocinado