Guimarães

Moradores já podem entrar no prédio afetado por incêndio na garagem

Moradores já podem entrar no prédio afetado por incêndio na garagem

A Proteção Civil está a avaliar os danos causados na garagem de um prédio em que deflagrou um incêndio, esta madrugada, e que obrigou à retirada de cerca de 150 pessoas.

O fogo destruiu pelo menos quatro viaturas e motivou a evacuação de cerca de 100 apartamentos, em dois prédios contíguos.

A Proteção Civil está no local com engenheiros a avaliar os estragos causados no teto da garagem, que ameaça ceder, mas já é seguro para os habitantes regressarem a casa.

As cerca de 150 pessoas retiradas das habitações durante a madrugada já foram autorizadas a regressar às habitações.

Segundo disse ao JN o presidente da Câmara, Domingos Bragança, nenhum dos moradores precisa de ser realojado. Todos já tiveram acesso aos apartamentos e os estabelecimentos comerciais contíguos já puderam abrir.

No entanto, o acesso à garagem vai continuar interdito até que sejam recolhidos todos os meios de prova pela PJ de Braga e asseguradas todas as condições de segurança por parte da equipa da Proteção Civil da Câmara. O que, na melhor das hipóteses, só acontecerá durante a tarde desta quinta-feira.

O alerta para o incêndio na Rua Comandante Luís de Pina, em Guimarães, distrito de Braga, foi dado às 4.07 horas. Os Bombeiros Voluntários de Guimarães mobilizaram 35 homens e dez viaturas para a ocorrência, bem como dez elementos da Proteção Civil e a PSP de Guimarães.

Os Bombeiros de Guimarães evacuaram o prédio por motivos de segurança e, embora nenhum dos moradores tivesse sido transportado para o Hospital, foi prestada assistência no local a duas pessoas.

Um bombeiro também sofreu ferimentos numa mão e foi transportado para o Hospital Senhora da Oliveira. Segundo o comandante dos Voluntários de Guimarães, Bento Marques, aquele operacional já teve alta hospitalar.

No local estiveram o presidente da Câmara e o responsável pela Proteção Civil que avaliaram a necessidade de alojar alguns moradores. A Polícia Judiciária também foi chamada.

Pelas 5.30 horas, os Bombeiros já procediam aos trabalhos de rescaldo, desconhecendo-se até ao momento os prejuízos causados.

Recomendadas

Conteúdo Patrocinado

Outros conteúdos GM