País

13 idosos viviam com 24 cães em lar ilegal em Loulé

13 idosos viviam com 24 cães em lar ilegal em Loulé

Uma denúncia por alegados maus tratos pôs a descoberto um lar ilegal onde viviam 13 idosos e 24 cães em condições precárias. Os proprietários são reincidentes.

Há cerca de dois anos foram obrigados a encerrar o mesmo espaço, uma vivenda localizada na Cruz da Assumada, em Loulé, por falta de licenciamento e excesso de utentes.

Numa inspeção, realizada na quarta-feira pela GNR, em articulação com a Segurança Social de Faro, foram encontrados onze homens e duas mulheres, com idades entre os 69 e os 87 anos. Estavam, segundo fonte oficial da Guarda, "alojados em condições precárias, partilhando ainda as instalações com 24 cães". A mensalidade de cada utente rondava os 400 e os 600 euros.

Numa primeira abordagem, a mulher que geria o lar ilegal não revelou quantos idosos ali estavam alojados e mostrou apenas alguns quartos. Mas os militares da GNR de Faro fizeram uma busca a toda a moradia e acabaram por encontrar treze em várias divisões.

Segundo fontes ligadas ao processo, o número de camas coincidia com o de idosos, havendo um colchão no chão, que a proprietária justificou como sendo onde dormia enquanto os vigiava. Não foram detetadas situações de falta de higiene, salubridade e de alimentação nem sinais evidentes de maus tratos. "Os cuidados básicos estavam assegurados, tanto das pessoas como dos animais. Apensa alguns não tinham as vacinas em dia", acrescentaram. A GNR não encontrou fundamento para a denúncia de maus tratos que motivou a operação e que foi feita por idoso com perturbações mentais. O lar foi encerrado pela Segurança Social. Nove idosos foram institucionalizados e quatro entregues às famílias. O inquérito está a cargo do Ministério Público de Loulé.

Recomendadas

Outros conteúdos GM

Conteúdo Patrocinado