País

Pai tinha pedido guarda das filhas que mãe levou à morte em Caxias

Pai tinha pedido guarda das filhas que mãe levou à morte em Caxias

Embora com inquéritos pendentes por suspeita de violência doméstica e alegada violação da filha mais velha, de quatro anos, o pai das duas meninas que a mãe arrastou para a morte, na segunda-feira à noite, em Caxias, tinha entrado há 15 dias com um pedido de regulação do poder paternal.

Com este pedido, o homem pretendia a custódia das filhas, de 19 meses e de quatro anos, depois de, em novembro último, a mãe das crianças ter-se queixado de violência doméstica e, inclusivamente, ter formalizado uma denuncia de alegada violação a uma das meninas, num inquérito que foi investigado pela secção de crimes sexuais da PJ e está atualmente no Ministério Público de Sintra.

As autoridades, que investigam a tragédia de segunda-feira à noite, na praia de Giribita, em Caxias, acreditam que o pedido de regulação do poder paternal movido pelo pai das crianças possa ter "afetado, ainda mais gravemente, o estado de depressão" em que vive a mãe das meninas, "contribuindo para o desfecho trágico".

Depois de sair do domicílio conjugal com as filhas, em Rio de Mouro, Sintra, ter sido acolhida em casa dos pais, na Amadora, ter procurado refúgio em casa de uma tia, em Vila Franca de Xira e, finalmente, ter regressado a casa dos progenitores, a mulher, de 37 anos, terá, esta segunda-feira, decidido suicidar-se juntamente com as duas filhas de tenra idade.

Dirigiu-se para Caxias no seu veículo, que estacionou, e a seguir, com as filhas, entrou nas águas gélidas do estuário do Tejo, na Giribita, mas por razões que a própria deverá explicar aos inspetores da PJ, assim que tiver alta médica do Hospital de Santa Maria, acabou por sobreviver, embora tudo aponte para um "provável arrependimento", em que, no entanto, "já não foi possível salvar as crianças".

A menina, de 19 meses, foi encontrada perto da linha de água, sem vida, e a irmã, de quatro anos, continua desaparecida e a ser procurada nas águas do Tejo.

Recomendadas

Outros conteúdos GM

Conteúdo Patrocinado