Transportes

Matosinhos quer concurso para substituir Resende

Matosinhos quer concurso para substituir Resende

O presidente da Câmara de Matosinhos anunciou, esta segunda-feira, que vai propor à Área Metropolitana do Porto a abertura "imediata" de um concurso público para a nova concessão dos transportes públicos no concelho e substituir a operadora Resende.

Esta proposta será formalizada na próxima reunião do Conselho Metropolitano do Porto, marcada para 28 de julho, referiu em comunicado o autarca Eduardo Pinheiro.

Esta decisão foi dada a conhecer numa reunião entre responsáveis da autarquia, da Área Metropolitana do Porto (AMP) e da operadora de transportes públicos Resende.

O "investimento insuficiente" na substituição, conservação e manutenção de viaturas e os "dados alarmantes" do relatório da Autoridade da Mobilidade e dos Transportes (AMT), na sequência da solicitação feita pela câmara após um acidente mortal ocorrido em outubro último com uma viatura daquela empresa, levaram ainda a autarquia e a AMP a declararem "tolerância zero" relativamente a quaisquer incidentes.

"Podendo estar em causa a substituição total ou parcial da rede de transportes públicos por razões de segurança ou risco público", vincou.

A AMT alertou que vai monitorizar as recomendações feitas à operadora de transportes Resende, no âmbito de uma auditoria que demonstrou ter havido um aumento de sinistralidade na ordem dos 33%.

Em causa está um operador rodoviário de transporte de passageiros que tem vindo a ser notícia devido a acidentes com os autocarros que integram a sua frota, nomeadamente incêndios em veículos que circulam na zona do Grande Porto, tendo o último sido registado na passada quinta-feira em Valongo.

O relatório dá nota de que houve um "aumento na sinistralidade de 2016 face a 2015, da ordem de 33%", ainda que aponte que os "acidentes não se encontram classificados por gravidade", sendo a principal causa apontada "a elevada taxa de rotatividade da categoria de motoristas".

Soma-se o facto de a Resende - empresa que desenvolve a sua atividade de serviço público de transporte de passageiros maioritariamente no concelho de Matosinhos e detém 60% das carreiras do concelho, com um quadro de pessoal de 179 colaboradores - estar em processo de certificação do seu Sistema de Gestão da Qualidade.

E, conta a AMT, para continuar a explorar as atuais carreiras, até três de dezembro de 2019, a Resende assinou um acordo com a Câmara de Matosinhos e a AMP que refere o "compromisso" de investir em material circulante, "com o objetivo de uma gradual renovação e melhoria da totalidade da frota".

Recomendadas

Conteúdo Patrocinado