Matosinhos

Tornado danifica 40 casas em Matosinhos

Tornado danifica 40 casas em Matosinhos

Um tornado de baixa intensidade em Angeiras, Matosinhos, provocou, este domingo de madrugada, estragos em cerca de 40 habitações.

Os bombeiros de Matosinhos-Leça foram chamados ao local cerca das 5 horas e admitem que os estragos foram provocados por um tornado de pouca intensidade.

No concelho de Matosinhos, há várias ocorrências relacionadas com o mau tempo. Também na zona da praia da Agudela, várias casas foram afetadas por inundações.

A proteção civil registou mais de 130 ocorrências no distrito do Porto por causa do mau tempo, na sua maioria inundações, com os concelhos da Maia e Matosinhos a serem os mais afetados. A subida do caudal do Rio Leça tornou inacessível uma habitação em Águas Santas, na Maia, obrigando ao resgate da moradora durante a manhã.

A proteção civil foi também chamada para 26 limpezas de via, 24 quedas de estruturas, nove quedas de árvore e cinco deslizamento de terras.

Na Maia, o mau tempo e as chuvas intensas causaram a inundação do parque de estacionamento do centro comercial Maia Jardim, que acabou por ser evacuado e encerrado, disse à Lusa o Comando Distrital de Operações e Socorro do Porto.

O primeiro alerta foi dado pelas 7.05 horas, hora a que a equipa de segurança do local ainda tentou, em vão, extrair a água do parque de estacionamento do piso -1 com motobombas.

Alguns funcionários tiveram de ser retirados daquele centro comercial na Maia, após o que os agentes de segurança optaram por fechar o estabelecimento. O centro comercial deverá reabrir esta segunda-feira.

Na origem da inundação esteve o aumento de caudal da ribeira de Almorode, um afluente do rio Leça, que levou ainda ao abatimento de uma via perto do centro comercial.

Segundo Bragança Fernandes, "as cheias acontecem porque por vezes os leitos dos rios não são limpos", ainda que não atribua a responsabilidade do sucedido ao ministério do Ambiente.

Também de acordo com o CDOS do Porto, o mau tempo levou ao desabamento de duas das faixas de rodagem numa rotunda junto àquele espaço comercial.

No local estavam pelas 14 horas os bombeiros de Moreira da Maia e uma equipa da proteção civil municipal.

O distrito do Porto é um dos dez que está com aviso laranja (o segundo mais grave) emitido pelo Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), a que se juntam os distritos de Viana do Castelo, Braga, Vila Real, Aveiro, Viseu, Lisboa, Setúbal, Leiria e Coimbra, os últimos quatro por causa da agitação marítima.

A Autoridade Nacional a Proteção Civil (ANPC) registou, entre a meia-noite e as 12.30 horas deste domingo, 352 ocorrências devido à chuva e vento fortes, sobretudo na zona litoral norte e em particular no distrito do Porto, a maioria relacionada com cheias e inundações.

Segundo o adjunto de operações nacional da ANPC Marco Martins a situação meteorológica vai agravar-se nas próximas horas, principalmente ao final do dia, nos distritos a norte do Cabo Carvoeiro, nos quais "podem ocorrer fenómenos extremos" devido à chuva e ventos fortes.

Recomendadas

Conteúdo Patrocinado