Bombeiros

Pediu à prima para entregar recém-nascida nos Bombeiros de Rebordosa

Pediu à prima para entregar recém-nascida nos Bombeiros de Rebordosa

Duas mulheres deixaram um bebé recém-nascido no quartel dos Bombeiros de Rebordosa, em Paredes, na segunda-feira à noite.

Durante nove meses escondeu uma gravidez da família e dos vizinhos, mas ao final da noite de segunda-feira, quando entrou em trabalho de parto com três filhos a dormir no quarto ao lado, a mulher de 38 anos telefonou a uma prima para pedir ajuda. Quando esta e outra familiar chegaram à casa, situada em Rebordosa, Paredes, encontraram a menina recém-nascida deitada no bidé e ainda presa ao cordão umbilical que a unia à mãe.

Mesmo assustadas com a situação imprevista, as duas mulheres conseguiram levar a bebé ao quartel dos Bombeiros de Rebordosa, onde a menina recebeu a primeira assistência. Depois, e ainda que a custo, revelaram o paradeiro da parturiente que, minutos depois, também foi assistida pelos Voluntários e levada para o hospital. Mãe e filha estão internadas, mas nenhuma corre risco de vida.

"Faltavam poucos minutos para a meia-noite quando chegou um carro com duas mulheres. Uma delas saiu logo com uma criança ao colo e embrulhada num cobertor", descreve o adjunto do Comando Manuel Moreira. O mesmo responsável da corporação de Rebordosa acrescenta que a bebé "estava ainda coberta com algum sangue e com vestígios pós-parto". "Já no interior da ambulância fizemos a aspiração e colocámos um clip no cordão umbilical", refere.

Foram ainda os bombeiros que insistiram para que as duas mulheres revelassem quem era e onde estava a mãe da recém-nascida, para que esta também fosse assistida. "Mostraram alguma resistência, mas acabaram por indicar a morada. Quando chegámos à habitação, a mulher mostrou-se algo surpreendida mas deixou que a tratassem e a levassem para o hospital", recorda Manuel Moreira.

Durante os próximos dias, mãe e filha vão continuar internadas no Hospital Padre Américo, em Penafiel. A primeira no serviço de Obstetrícia e a segunda no de Neonatologia.

Surpresa na família e vizinhança

Maria M. já tinha três filhos (o mais velho não tem mais de 10 anos) de um casamento que está há muito terminado. Mesmo assim, e depois de ter passado uma temporada a viver junto da sua família, também em Rebordosa, a mulher de 38 anos regressou, há cerca de quatro meses, para a casa que tinha partilhado com o marido - que está emigrado na Alemanha, onde estará a realizar um tratamento para mudar de sexo - e que fica junto à residência dos sogros e do cunhado.

Ali ninguém sabia da gravidez de Maria M. e ficaram surpreendidos com os acontecimentos da noite de segunda-feira. "Vi-a há três semanas e pareceu-me mais forte, mas nunca pensei que estava grávida", declara uma vizinha. "Eu nem sabia que isso tinha acontecido. Está a dar-me uma novidade, pois nem sequer vi a ambulância", assume outra.

Também no seio da família de Maria M. a notícia do parto foi recebida com surpresa. "Ela estava mais gorda e eu cheguei a perguntar-lhe se estava grávida. Mas ela sempre negou e até brincava com a situação", afirma uma familiar.

Num e noutro local, ninguém avança com uma justificação para a atitude de uma mulher que, salientam, sempre tratou bem os três filhos, mas que não preparou a chegada da primeira menina da família. "Ela não tinha comprado uma fralda", revela uma familiar.

Recomendadas

Conteúdo Patrocinado