Porto

Ribeira do Porto e marginal de Gaia inundadas

Ribeira do Porto e marginal de Gaia inundadas

A Ribeira do Porto e a marginal de Gaia ficaram inundadas, durante a madrugada desta segunda-feira, devido à subida do rio Douro.

As cheias nas margens de Porto e de Gaia foram causadas pelo aumento do débito da barragem de Crestuma, que foi, entre as 00.00 e as 2.30 horas, sete vezes maior do que o habitual.

A zona de Miragaia foi a primeira a ser inundada. Pelas 1.45 horas, a rua de Miragaia já estava coberta por um lençol de água.

Pouco depois, noutras zonas da Ribeira, o nível das águas atingiu alguns centímetros, assim como na marginal de Gaia. Pelas 3.00 horas, o rio Douro estava a sete metros acima do nível regular.

No porto de pesca da Afurada, em Gaia, os pescadores protegeram os seus barcos. Nuns casos, levando-os para a marina, noutros casos, adicionando carga para que as embarcações ficassem mais pesadas, reduzindo-se assim o risco de subirem as margens com a força das águas.

Durante a tarde, os autarcas do Porto, Vila Nova de Gaia e Gondomar estiveram reunidos, no Centro de Cheias da Capitania do Douro, num encontro onde esteve também, além de elementos da Proteção Civil, a secretária de Estado Adjunta e da Administração Interna, Isabel Oneto.

Na altura, o presidente da Câmara do Porto afirmou que a previsível subida do rio Douro nas zonas ribeirinhas da cidade "não é uma situação de emergência" e lembrou que "a população da Ribeira já está habituada".

"Isto não é uma situação de emergência, mas é verdade que existem alguns riscos", afirmou Rui Moreira que se deslocou à Ribeira junto à Praça do Cubo.

Por sua vez, o presidente da câmara de Gaia alertou que a cheia no rio Douro pode prolongar-se até ao meio-dia desta segunda-feira, tendo em conta os débitos de água das barragens espanholas.

Durante a tarde deste domingo, as águas galgaram também as margens das freguesias de Avintes, Crestuma, Oliveira do Douro e Afurada.

A proteção civil registou este domingo mais de 130 ocorrências no distrito do Porto por causa do mau tempo, na sua maioria inundações, com os concelhos da Maia e Matosinhos a serem os mais afetados.

O distrito do Porto é um dos dez que estão com aviso laranja (o segundo mais grave) emitido pelo Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), a que se juntam os distritos de Viana do Castelo, Braga, Vila Real, Aveiro, Viseu, Lisboa, Setúbal, Leiria e Coimbra, os últimos quatro por causa da agitação marítima.

Recomendadas

Outros conteúdos GM

Conteúdo Patrocinado