Porto

Bairro quer cuidar de pai e filho doentes

Bairro quer cuidar de pai e filho doentes

Rui faz oito anos daqui a dias e no bairro de S. Tomé, no Porto, já andam todos a pensar na festa que lhe vão organizar.

Desde que a mãe morreu, no passado dia 9, e depois de o pai ter sido internado no Hospital de S. João com uma pneumonia, a criança está sob a responsabilidade de um casal que tem três filhos. É na casa destes vizinhos que Rui tem vivido. A Segurança Social está a acompanhar a situação. Por estes dias, a "tia" Joana tem sido o porto seguro de Rui, numa casa cheia de crianças, onde o menino tem acalmado a dor da perda da mãe e voltado a brincar.

"Começou por vir cá para casa brincar com o meu filho, porque são coleguinhas na escola. Mas quando me apercebi que a mãe estava no hospital e o pai ia diariamente para lá, comprometi-me a tomar conta dele. Até hoje", contou, ao JN, Joana Fonseca, 37 anos, de "coração aberto" para cuidar da criança, enquanto o pai, Armando Ribeiro, 69 anos, estiver hospitalizado. "Estamos dispostos a ajudar no que for preciso, tanto que o que mais pedi aos técnicos da Segurança Social foi para manter o menino aqui em casa, porque já passou por muito e não merece ser encaminhado para uma instituição". "É tudo filhos e onde comem três, comem quatro", sublinhou.

* com Reis Pinto

Ler mais na versão e-paper ou na edição impressa

Recomendadas

Outros conteúdos GM

Conteúdo Patrocinado